Economia

Ouro para nove vinhos portugueses em Bruxelas

Ouro para nove vinhos portugueses em Bruxelas

Nove vinhos portugueses foram premiados com a Grande Medalha de Ouro no Concurso Mundial de Bruxelas deste ano, realizado no Luxemburgo, entre os quais os tintos Vale da Poupa, do Douro, e Cabrita, do Algarve.

Os dois vinhos são fruto de dois projectos recentes. O primeiro é um reserva duriense do ano 2007 e o segundo um vinho regional de 2009.

A edição 2011 do Concurso Mundial de Bruxelas decorreu no Luxemburgo. A organização anunciou já que a edição de 2012 vai realizar-se em Guimarães.

Os restantes vinhos portugueses galardoados com a Grande Medalha de Ouro foram os alentejanos Cotéis Grande Escolha 2008, Esporão Reserva 2008 e Etc. Colheita Selecionada 2009 e os durienses Duvalley Grande Reserva 2007, Marka Reserva 2008, Quinta da Fronteira Reserva 2008 e Vallegre Reserva Especial-Old Vines 2007.

Por trás do Vale da Poupa encontra-se a empresa GR Consultores com sede em Favaios, Alijó, que iniciou a sua produção em 2004.

"Alugámos uma adega ao meu pai", recorda Gonçalo Sousa Lopes, viticultor da GR Consultores.

A empresa, a que está ligado o enólogo Rui Cunha, começou então a comprar uvas brancas ao pai de Gonçalo e as tintas a agricultores dos vales dos rios Pinhão e Torto.

A partir de 2006, a GR Consultores arrendou uma vinha próxima, mas continuou a comprar uvas a terceiros. Hoje, continua sem ter uvas próprias, mas faz "vários vinhos" e já produz cerca de "30 mil garrafas".

A GR Consultores lançou também "o primeiro moscatel a ter a designação mais de 40 anos, no final do ano passado", um vinho que vai bem com "sobremesas".

Outro vinho distinguido com a Grande Medalha de Ouro é do Algarve. Naquela região está em curso uma pequena revolução na viticultura e o produtor José Manuel Cabrita, de Silves, é um dos seus rostos.

O seu vinho Cabrita 2009 saiu do Luxemburgo com uma daquelas medalhas.

Este vinho regional vem da Quinta da Vinha, com seis hectares, e foi elaborado com as castas touriga nacional, trincadeira e aragonês.

"Foram feitas 20 mil garrafas", referiu ainda à Lusa o consultor António Maçanita.

O seu perfil aromático "é muito dominado pela touriga nacional e tem uma frescura e uma estrutura bastante impressionantes", descreve Maçanita.

O produtor vende "sobretudo no mercado português", exporta alguma coisa para a Suíça e está "em vias de entrar no Brasil".

Para o final deste ano, prevê lançar "o Cabrita Reserva 2009".