Economia

Piropos a Sónia Sanfona marcam final dos trabalhos da Comissão de Inquérito

Piropos a Sónia Sanfona marcam final dos trabalhos da Comissão de Inquérito

Os trabalhos da comissão de inquérito ao caso BPN terminaram ao cabo de seis horas, com vários deputados a lançarem piropos à relatora Sónia Sanfona.

Tudo começou quando Nuno Melo disse esperar que "o PCP não fosse no canto da sereia", em referência à introdução de 16 propostas feitas pelos comunistas no relatório final.

Honório Novo, deputado comunista, respondeu que "o PCP não vai em cantos da sereia", altura em que Miguel Macedo, deputado do PSD, lançou um piropo a Sónia Sanfona. "Deputada-sereia ou deputada-princesa", disse o deputado do PSD.

Isto, já depois de Maria de Belém Roseira, presidente da Comissão, perante as várias trocas de elogios que se seguiram, ter feito um esclarecimento relativo à designação "sereia", dizendo que na reunião só participavam deputados.

No final, Nuno Melo ainda teve tempo para se despedir dos seus colegas parlamentares, dizendo que parte para Bruxelas segunda-feira, provocando gargalhadas dos restantes deputados ao acrescentar que espera um dia voltar.

Antes de partir para ocupar lugar no Parlamento Europeu, Nuno Melo rematou que "em Alpiarça sereias é complicado", numa clara alusão a Sónia Sanfona, candidata do PS à Câmara de Alpiarça nas eleições legislativas que se avizinham.

"É complicado", reagiu a deputada Sónia Sanfona, visivelmente bem-disposta, aliás, a condizer com o tom ameno que marcou o encerramento dos trabalhos da Comissão, apesar das inúmeras trocas de acusações políticas entre os diferentes grupos parlamentares ao longo de seis meses de reuniões e de 54 audições.