Economia

Político angolano diz que investimentos em Portugal servem para lavar dinheiro

Político angolano diz que investimentos em Portugal servem para lavar dinheiro

Os investimentos de Angola em Portugal servem para lavar dinheiro, acusou, esta quarta-feira, em Luanda, Abel Chivukuvuku, líder da coligação Convergência Ampla de Salvação de Angola.

"Nós encorajamos o investimento recíproco. O que apenas consideramos negativo é quando Portugal quase se torna uma espécie de refúgio de capitais ilícitos. Ilícitos de Angola para Portugal", disse Abel Chivukuvuku.

O líder da coligação, terceira maior força política angolana, falava numa conferência de imprensa em que apresentou o balanço da digressão que uma delegação da Convergência Ampla de Salvação de Angola (CASA-CE) efetuou este mês a Portugal e outros países europeus e Estados Unidos, para contactos políticos.

"É público, é sabido, que as relações entre países têm muitas dimensões: políticas, sociais, culturais ou económicas. Obviamente que Portugal e Angola devem aprofundar as relações económicos e crescimento do investimento recíproco para o bem dos dois países", defendeu.

O que não está certo, para Abel Chivukuvuku, é que os múltiplos investimentos de cidadãos angolanos em Portugal configurem uma lavagem de dinheiro obtido ilicitamente.

"Se fossem capitais lícitos, ganhos normalmente com trabalho, honestidade e seriedade, seria benéfico e positivo, mas quando se torna espaço de branqueamento de capitais ilícitos já é negativo", acusou, referindo que o mesmo não se passa com outros países.

Instado a identificar quais os investimentos a que se referir, Abel Chivukuvukui declinou, referindo apenas que são públicos.

"São do conhecimento público. Basta pesquisar na comunicação social internacional", afirmou.