O Jogo ao Vivo

Economia

Políticos e dirigentes superiores ganham mais do que há três anos

Políticos e dirigentes superiores ganham mais do que há três anos

Representantes do poder legislativo e dirigentes superiores estão entre as 10 carreiras da Administração Pública cuja remuneração mensal aumentou de 2011 para 2014. Mas, para a maioria, o sentido foi o inverso.

O ganho médio mensal dos funcionários públicos chegou a outubro de 2014 num valor semelhante ao de 2011, mas a estagnação não tocou todos da mesma forma. Os representantes do poder legislativo e os dirigentes de topo da Administração Pública ganham agora mais 8,7% e 2%, respetivamente, do que há três anos. Já os médicos e restantes profissionais de Saúde, informáticos e pessoal da Justiça viram as remunerações reduzir-se.

No final do ano passado - quando já estavam de novo a ser aplicados os cortes salariais que vigoraram de 2011 a 2013 - os dirigentes superiores da Administração Pública recebiam, entre remuneração-base e suplementos, 4346,5euro por mês, ou seja, mais 86,1euro do que em outubro de 2011. Parte deste acréscimo deve-se ao aumento do salário-base destas chefias de topo, que passou de 3539euro para 3562euro mensais. Segundo os dados da Síntese Estatística do Emprego Público (SIEP), também entre os dirigentes intermédios se registou um acréscimo quer na remuneração - base quer no ganho médio mensal neste mesmo período. Os representantes do poder legislativo estão também no grupo dos que viram a remuneração subir: o seu vencimento-base aumentou em média 150euro e aquilo que recebem no final do mês subiu cerca de 220euro (8,7%).

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa