Economia

Portugal e Irlanda abrangidos por alargamento dos prazos da dívida

Portugal e Irlanda abrangidos por alargamento dos prazos da dívida

Portugal e a Irlanda serão abrangidos pelo alargamento dos prazos de pagamento da dívida, mas o sector privado não será implicado na solução da crise actual, afirmou Nicolas Sarkozy, em Bruxelas.

O presidente francês falava na conferência de imprensa em que apresentou as conclusões da cimeira da Zona Euro, que reuniu em Bruxelas os líderes dos países da moeda comum e de várias instituições financeiras internacionais.

"Excluímos a implicação do sector privado" no plano aprovado em Bruxelas, anunciou Nicolas Sarkozy no final de uma maratona negocial.

Portugal e a Irlanda, no entanto, serão abrangidos pela outra medida principal decidida, esta quinta-feira, que é o alongamento de prazos de maturidade para permitir aos países em dificuldade sair da situação de crise.

Nicolas Sarkozy deixou também claro que "seria injusto" tratar da mesma maneira um país que respeita o plano de austeridade e um outro que não respeite os seus compromissos.

Os países da Zona Euro chegaram a acordo para um plano de ajuda da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI) à Grécia no valor de 109 mil milhões de euros no total.

A contribuição do sector privado entre 2011 e 2019 será de 106 mil milhões de euros.

Nicolas Sarkozy, que falava na conferência de imprensa após a maratona negocial de mais de oito horas, salientou que este plano se aplica apenas à Grécia "e a nenhum outro país da Zona Euro".