Economia

Portugueses desistem de procurar emprego

Portugueses desistem de procurar emprego

O número de pessoas disponíveis para trabalhar, mas que desistiram de procurar emprego, aumentou para 83 mil no último trimestre de 2011, quase o triplo do valor registado três anos antes.

Segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), havia 83 mil "inactivos desencorajados" no último trimestre de 2011. No primeiro trimestre de 2008, esse valor estava nos 28,7 mil.

Um inactivo desencorajado, na definição do INE, é uma pessoa disponível para trabalhar mas que não procurou emprego nas semanas anteriores ao inquérito por uma série de motivos, incluindo achar que não valia a pena procurar ou que não haveria empregos.

Estas pessoas não entram para o cálculo da taxa de desemprego oficial, tal como os "inactivos disponíveis" - as pessoas disponíveis para trabalhar mas que não procuraram emprego nas semanas anteriores ao inquérito. Havia 203 mil pessoas nesta situação no quarto trimestre de 2011, um aumento de cinco por cento relativamente ao trimestre anterior.

A taxa de desemprego em Portugal no quarto trimestre de 2011 atingiu os 14 por cento, ficando acima das estimativas dos economistas, que esperavam uma taxa entre os 13 e os 13,5 por cento.

A taxa de desemprego média anual situou-se nos 12,7 por cento.