PROCURA UMA EMPRESA?

PESQUISE POR NOME, NIF OU MARCA, GRATUITAMENTE!

Relatórios de todas as empresas portuguesas

Economia

Preços no mercado ibérico de eletricidade acima da Alemanha e França

Preços no mercado ibérico de eletricidade acima da Alemanha e França

Os preços da energia negociados no Mercado Ibérico de Eletricidade (MIBEL) estão acima dos praticados na Alemanha e França, de acordo com um estudo do conselho de reguladores desta entidade.

Este relatório, publicado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), conclui que, "em termos gerais", desde 2012, "os preços médios do mercado diário do MIBEL (Espanha e Portugal) estão acima dos preços registados na Alemanha e em França".

Segundo o estudo, "o preço médio diário de mercado em Espanha e Portugal foi de 46,67 euros/MWh [megawatt/hora] e 46,79 euros/MWh, respetivamente, enquanto que nos mercados alemão e francês, esse preço foi de 38,67 euros/MWh e 43,51 euros/MWh, respetivamente".

De acordo com o conselho de reguladores, "enquanto os preços médios do mercado diário em Espanha e Portugal estiveram em linha, estes preços foram superiores aos preços médios registados nos mercados diários alemão e francês (cerca de 21% e 7%, respetivamente)".

O estudo conclui ainda que, em termos de procura de eletricidade, em 2018, "o consumo em cada um dos quatro países objeto de estudo foi aproximadamente de 253,5 TWh [terawatt/hora] (Espanha), 50,9 TWh (Portugal), 478,7 TWh (França) e 538,4 TWh (Alemanha). Portanto, o consumo em Portugal representa em ordem de magnitude cerca de 20% do consumo de Espanha", enquanto o consumo na Alemanha e em França foi perto "do dobro do mercado espanhol".

O conselho de reguladores do MIBEL destaca que, "entre 2013 e 2018, a procura em Espanha e Portugal manteve-se relativamente estável (com uma percentagem de variação entre 2013 e 2018 de 2,7% e de 3,5% em Espanha e Portugal, respetivamente)".

Nesse mesmo período, "a procura de energia elétrica em França e Alemanha registou uma redução, com uma taxa de variação negativa de cerca de 3,5% no caso do mercado francês e aproximadamente de 11% no caso de mercado alemão", refere o relatório.

Num comunicado separado, o conselho de reguladores deu conta de que "o objetivo deste estudo é melhorar o funcionamento do MIBEL para lhe proporcionar maior liquidez, o que poderia facilitar um melhor financiamento das energias renováveis"

Por isso, "foi remetido aos governos de Espanha e Portugal, com uma proposta de medidas suscetíveis de implementação para o melhor funcionamento e desenvolvimento do MIBEL". Estas medidas não foram divulgadas.

"A liquidez do mercado a prazo espanhol é notavelmente menor do que a dos seus homólogos alemão e francês. A evolução desta liquidez foi influenciada por aspetos estruturais do MIBEL, tanto de natureza regulatória como devido a uma menor cultura de cobertura de riscos", indica ainda o mesmo comunicado.