OCDE

PS diz que "desastre" do desemprego está a aprofundar-se

PS diz que "desastre" do desemprego está a aprofundar-se

A taxa de desemprego em Portugal subiu para os 16,3%, a terceira maior dos países que integram a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico. O PS considera que "o desastre" está a aprofundar-se e questiona como Passos Coelho ou Durão Barroso podem falar do país como caso de sucesso.

Carlos Zorrinho, presidente do Grupo Parlamentar do PS, falava em conferência de imprensa na Assembleia da República, após a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) ter estimado que a taxa de desemprego em Portugal subiu para os 16,3%.

O país com a taxa mais elevada foi Espanha, com 26,2%, seguida da Grécia, com 25,4% (em agosto, o último mês disponível) e Portugal, com 16,3% (taxa que já tinha sido divulgada pelo Eurostat a 30 de novembro).

Perante estes dados, o líder parlamentar do PS disse tê-los recebido "com profunda tristeza", porque "cada vez que a OCDE se pronuncia o desemprego em Portugal aumenta uma décima - uma décima que representa cerca de cinco mil pessoas, cinco mil famílias e cinco mil projetos".

"O desastre vai-se aprofundando cada vez mais", sustentou o líder da bancada socialista.

Carlos Zorrinho questionou depois "como é possível que, face a estes números, o primeiro-ministro [Pedro Passos Coelho], o ministro das Finanças [Vítor Gaspar] e o presidente da Comissão Europeia [Durão Barroso] continuem a falar de Portugal como um caso de sucesso".

"Portugal só pode ser um caso de sucesso se esse sucesso for medido pelo índice de empobrecimento. Mas o PS recusa que o sucesso do país se possa medir pelo índice de empobrecimento. Não é isso que pretendemos para um país com ambição, com futuro e onde seja bom viver", acrescentou o líder da bancada socialista.

No conjunto dos países da OCDE, a taxa de desemprego subiu para os 8%, assim como na União Europeia, onde avançou para os 10,7%. Na zona euro, a taxa de desemprego subiu para os 11,7%.