PROCURA UMA EMPRESA?

PESQUISE POR NOME, NIF OU MARCA, GRATUITAMENTE!

Relatórios de todas as empresas portuguesas

Economia

Restauração pode perder 64 mil empregos em 2012

Restauração pode perder 64 mil empregos em 2012

A restauração poderá perder 64 mil empregos até ao final do ano, disse, esta quinta-feira, na Assembleia da República, o secretário-geral da associação do setor, José Manuel Esteves.

"Segundo o Instituto Nacional de Estatística, houve 15.900 postos de trabalho perdidos no primeiro trimestre. Em termos homólogos [comparando com o mesmo trimestre de 2011], foram menos 33 mil empregos. Projetando para o total do ano, vamos ter mais de 64 mil [novos] desempregados", disse o secretário-geral da Associação da Hotelaria e Restauração (AHRESP), numa reunião com deputados da comissão de Orçamento e Finanças.

A AHRESP apresentou este mês uma petição na Assembleia da República para reivindicar que a taxa do IVA na restauração desça dos atuais 23% para 13%, a taxa que vigorava até ao início deste ano.

Esteves acrescentou que, quando o Governo anunciou o aumento do IVA na restauração, a AHRESP fez uma estimativa de 47 mil empregos perdidos: "Disseram-nos na altura que estávamos a exagerar, e afinal?".

José Manuel Esteves disse ainda que "o segundo trimestre será pior, e a segunda metade do ano será incomportável" para a restauração: "O nosso gabinete de crise recebe diariamente centenas de empresários desesperados."

O deputado João Almeida (CDS-PP) contrapôs que os problemas sentidos pela restauração não se devem apenas ao aumento do IVA, porque "a quebra da procura é anterior" a essa medida: "Mesmo que o IVA tivesse baixado, muito dificilmente isso iria anular uma quebra da procura derivada da perda de poder de compra das famílias."

Também o social-democrata Virgílio Macedo notou que "os restaurantes não são um bem de primeira necessidade", e que em tempos de crise é normal que as receitas do setor se reduzam: "Quando as pessoas têm de fazer opções, é um bem onde podem cortar."

Macedo acrescentou ainda que "é uma extrapolação demasiado direta fazer a correlação entre o aumento da taxa do IVA" e o aumento do desemprego no setor: "O aumento do desemprego não tem sido só na restauração", disse o deputado do PSD eleito pelo Porto.