Economia

"Sistema bancário também vai precisar da ajuda do fundo europeu", diz Mira Amaral

"Sistema bancário também vai precisar da ajuda do fundo europeu", diz Mira Amaral

O antigo ministro Mira Amaral considerou, quinta-feira, que além do Estado também a banca vai precisar da ajuda do fundo europeu e do FMI devido à falta liquidez causada pela crise das finanças públicas.

"Parece que [a ajuda] não é só para as finanças públicas, o sistema bancário também vai precisar da ajuda do fundo europeu", disse o actual presidente do banco BIC Portugal, à margem de um jantar da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã, em Lisboa.

Para o antigo governante o que aconteceu foi uma contaminação da débil situação do Estado ao sistema financeiro, o que o deixou fragilizado.

"Ao contrário da Irlanda, em Portugal, o estado das finanças públicas é que criou problemas ao sistema financeiro. A crise de liquidez dos bancos é consequência da falta de confiança dos credores externos sobre as finanças públicas portuguesas. Quando há riscos das finanças públicas isso contamina a economia e os credores cortam financiamento externo que era feito pelos bancos", considerou.

No entanto, Mira Amaral recusou adiantar o montante que o sistema bancário vai precisar para se consolidar.

Segundo o antigo ministro da Indústria de Cavaco Silva, o fundo europeu devia mesmo ser "flexibilizado" para poder "acorrer à banca", até porque se em Portugal houvesse um grave problema com os bancos o Estado não tinha "recursos" para os ajudar, considerou.

"Toda a gente na Europa já percebeu que uma crise das finanças públicas acaba por estar ligada a uma crise bancária e é preciso atacar as duas", afirmou.