Banca

Taxas no multibanco beneficiariam mais Santander e CGD

Taxas no multibanco beneficiariam mais Santander e CGD

Portugal é o país europeu com uma maior rede de caixas multibanco e onde mais se recorre a essas máquinas.

Os levantamentos e pagamentos no multibanco são gratuitos porque a lei proíbe custos com esses serviços. Mas os presidentes de alguns dos maiores bancos nacionais contestam que não se cobre comissões.

Pedro Castro e Almeida, presidente executivo do Santander Totta, e Paulo Macedo, o líder da CGD, já vieram defender essa solução. E esses são os bancos que mais teriam a ganhar com a subida de receitas com caixas multibanco.

O Santander Totta tinha, no final de 2018, 1441 caixas multibanco espalhadas pelo país, uma quota de 16,1%, segundo dados do Centro de Estudos Políticos Europeus (CEPS, na sigla em inglês).

Já o banco público tem 1361 caixas (15,2%) e o Crédito Agrícola completa o pódio com mais de 1300 máquinas multibanco. Dos restantes bancos a operar em Portugal, apenas o BCP supera as mil máquinas multibanco (1244).

O líder do Santander Totta disse esta semana que "aqui, em Portugal, temos custos de contexto interessantes, não se paga taxas nas ATM (caixas multibanco automáticas) e isso tem custos para o banco". Também Paulo Macedo defendeu ontem que este serviço deveria ser pago.

Portugal é dos poucos países da Europa onde os bancos não cobram pela utilização das ATM. E, segundo o estudo do CEPS, é um dos países onde a ida ao multibanco é mais popular. "Cada pessoa faz em média 0,9 levantamentos por semana, quase o dobro da média europeia", dizem os especialistas daquele centro de estudos.

A rede de ATM é também a maior da Europa. Existem 89 caixas por cada 100 mil habitantes. Em Espanha, outro dos países com maior rede, é de 67 pelo mesmo número de habitantes.

Em média, os bancos portugueses têm uma receita de 25 mil euros por ano e um custo de 21 mil euros com cada ATM colocada nos seus balcões, segundo os dados da CEPS. Já os equipamentos que estão instalados fora das agências dos bancos dão, em média, prejuízo. Geram 20,3 mil euros de receita e implicam uma despesa de 21,5 mil euros.

25 mil euros de receitas

As caixas multibanco instaladas nos balcões dos bancos geram, em média, uma receita de 25 mil euros por ano. Já os equipamentos ATM instalados fora das agências, em centros comerciais ou edifícios públicos, geram uma receita de 20,2 mil euros.

21 mil euros de custos

As caixas multibanco instaladas nas próprias agências dos bancos implicam uma despesa anual de 21 mil euros. Já os equipamentos noutras instalações têm um custo de 21,5 mil euros. Em Portugal, metade dos ATM estão fora dos balcões dos bancos.