Combustíveis

Taxistas pedem ao Governo "solução urgente" para abastecerem as viaturas

Taxistas pedem ao Governo "solução urgente" para abastecerem as viaturas

A Federação Portuguesa de Táxi (FPT) está desde a manhã desta quarta-feira a tentar agendar uma reunião com o Governo para "encontrar uma solução urgente" que permita abastecer os táxis, na sequência da falta de combustível nos postos de abastecimento.

De acordo com o presidente da FPT, Carlos Ramos, o setor do táxi está "neste momento à procura de uma solução" para abastecer as viaturas, nomeadamente nos grandes centros urbanos.

"Queremos que nos arranjem uma solução em especial nos grandes centros urbanos ou os táxis vão parar. Temos colegas horas nas filas para abastecer e depois não há combustível, a Administração Pública e o Governo têm de garantir que há sítios para abastecer as viaturas", afirmou Carlos Ramos, em declarações à agência Lusa.

O presidente da FPT sugere que os táxis possam abastecer nas reservas das empresas de transportes públicos.

"Têm que nos garantir alguma solução, por exemplo poderem abastecer nas estações das rodoviárias, na Carris em Lisboa e na STCP no Porto ou nos Transportes Urbanos de Braga (TUB), para os grandes centros urbanos tem que se arranjar uma solução", disse.

A greve nacional dos motoristas de matérias perigosas, que começou à meia-noite de segunda-feira, foi convocada pelo Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), por tempo indeterminado, para reivindicar o reconhecimento da categoria profissional específica.

Após a requisição civil, os militares da GNR mantiveram-se de prevenção em vários pontos do país para que os camiões com combustível pudessem abastecer e sair dos parques sem afetarem a circulação rodoviária.

Gerou-se a corrida aos postos de abastecimento de combustíveis provocando congestionamento nas vias de trânsito.