Economia

Trabalho matou 1633 operários na última década

Trabalho matou 1633 operários na última década

Na última década, pelo menos 1633 pessoas morreram em trabalho. Alargando os dados a 2001, o ano mais antigo constante da página na Internet da Autoridade para as Condições no Trabalho, as vítimas mortais sobem para 1913 pessoas.

Juntando os seis que já perderam a vida este mês (incluindo os três trabalhadores de ontem), chega-se a um número de 1919 pessoas que morreram enquanto trabalhavam. O número absoluto esconde, contudo, tendências diferentes. Durante anos, trabalhar foi sendo mais seguro, com actividades como a construção civil - tradicionalmente a que mais trabalhadores mata - a reduzir de forma acentuada a sinistralidade grave, em particular a partir da Expo 98. A descida sustentada foi, contudo, interrompida nos dois últimos anos.

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa