PROCURA UMA EMPRESA?

PESQUISE POR NOME, NIF OU MARCA, GRATUITAMENTE!

Relatórios de todas as empresas portuguesas

Mobilidade

Vendas de carros elétricos mais do que duplicaram em 2017

Vendas de carros elétricos mais do que duplicaram em 2017

A forma de nos transportarmos passará cada vez mais por veículos elétricos, autónomos e partilhados. Em Portugal, as vendas ultrapassaram, neste ano, a casa dos mil veículos. A UE pressiona as marcas e estas aceleram para a eletrificação, investindo numa maior autonomia.

É desta que os veículos elétricos saem da linha de partida? Os indicadores de vendas, as estimativas das marcas e os planos ousados de vários países no combate às emissões revelam que já não há marcha-atrás. "Os carros do futuro serão elétricos, autónomos e partilhados", conclui o diretor de marke- ting estratégico e relações externas da SIVA, Ricardo Tomaz.

Neste ano, é a primeira vez que serão vendidos mais de mil veículos elétricos de passageiros em Portugal. Até julho, saíram dos stands 921 carros movidos a eletricidade, quase mais 130% do que em igual período do ano anterior. Uma evolução gigante se olharmos para os 166 veículos vendidos em 2013.

É ao Renault Zoe que está a caber a liderança do segmento em 2017, sendo responsável pela comercialização de 437 unidades até julho. Mas são várias as marcas que se destacam no mercado nacional, como a Nissan ou a BMW.

O Grupo Volkswagen já criou uma marca própria elétrica, a ID, a ser adaptada a várias carroçarias, e também a marca Moia, para soluções de mobilidade partilhada. Nos planos do grupo está o desenvolvimento de cerca de 30 modelos elétricos até 2025, apostando também na condução autónoma e no carsharing.

Relativamente às suas metas de vendas para os veículos elétricos, elas foram revistas em alta: passaram de 2% para 20% em 2020, o que atesta bem da previsível evolução deste mercado. Em Portugal, a marca vendeu neste ano mais de 50 veículos, na grande maioria para empresas.

A revisão de estimativas das construtoras automóveis acontece num contexto em que os compromissos assumidos na Cimeira do Clima levam países como o Reino Unido a anunciar que vai banir a venda de carros novos a gasóleo e gasolina a partir de 2040.

Por pressão ou estímulo, o caminho das construtoras está por isso traçado, o mesmo acontecendo, por arrasto, aos consumidores. Se, até aqui, o preço elevado e a falta de autonomia dos automóveis tem sido uma das principais barreiras à massificação, esse obstáculo vai sendo, também ele, gradualmente ultrapassado.

No mercado estão a ser lançados modelos com cada vez maior capacidade de autonomia em torno dos 400 km e 500 km. É o resultado da evolução na tecnologia, que, depois das primeiras tentativas, ainda no século XIX - com a criação da bateria de chumbo e ácido em 1880 aplicada aos primeiros carros elétricos -, promete mudar o panorama da mobilidade.

Aquela evolução tem reflexo direto nos preços. Em média, as baterias rondam os mil euros e representam cerca de um terço do preço de um automóvel. Mas estima-se que, já em 2020, o seu preço baixe para os cem euros, apontou Ricardo Tomaz.

Enquanto o quadro de incentivos fiscais se mantém estável, com isenção de imposto sobre veículos, IUC e remuneração pelo abate, há outras barreiras. A falta de postos de carregamento nos edifícios de empresas é apontada como entrave à expansão da mobilidade elétrica no universo empresarial. v

Novidades de 2018 apostam na autonomia

Mercado Muitas marcas prometem novidades em matéria de mobilidade elétrica, com chegada a Portugal no próximo ano, mas hoje em dia já há várias propostas disponíveis como as da gama Volkswagen Golf que estão à venda. O e-Golf e o híbrido plug-in GTE. O primeiro viu aumentada a potência e a autonomia (300 km), enquanto o segundo consegue andar 50 km em modo elétrico.

Quanto às próximas novidades, temos o Tesla Model 3, com o primeiro modelo compacto da marca a garantir cerca de 350 km de autonomia e outra que permite 500 km. Chega dos 0 aos 100 km/h em menos de seis segundos e a velocidade máxima fixa-se nos 209 km/h. Os preços, em Portugal, deverão situar-se nos 40 mil euros.

Já o Audi-e-tron quattro promete uma autonomia na casa dos 500 km, com uma potência de 430 cv e um registo dos 0 aos 100 km/h em 4,6 segundos.

Noutro segmento, o Nissan Leaf tem chegada anunciada para janeiro, com autonomia de 400 km, uma bateria que demora 16 horas a ser carregada numa tomada convencional de 3kWh e oito horas num posto público. Num posto de carregamento rápido demora 40 minutos até atingir 80% de carga.

Com uma autonomia ainda maior, o Opel Ampera-e, rola até aos 520 km, tem uma potência de 204 cavalos e uma velocidade máxima limitada a 150 km.

O Honda Clarity Ev chega ao mercado português equipado com uma bateria de 25,5 kwh, e uma potência de 161 cavalos.

A Mercedes aposta no EQC, com dois motores elétricos, um em cada eixo, uma potência de 270 cavalos e uma autonomia de cerca de 400 km, com tração integral.

Lisbon Mobi Summit

Experimentar é na Central Tejo

Ver e experimentar carros elétricos vai ser possível a 27 e 28 de janeiro, no warm-up da Lisbon Mobi Summit, na Central Tejo.

O arranque da iniciativa do Global Media Group, sobre a mobilidade no futuro, tem início a 26, com uma sessão plenária. No fim de semana, o público pode inscrever-se para participar. Antecipar as tendências da mobilidade, nos domínios do transporte, cidades, tecnologias, negócios e da cidadania, é o objetivo.

Uma conferência internacional

Em setembro, Lisboa vai ser o palco internacional da mobilidade do futuro, com o arranque da conferência anual da Lisbon Mobi Summit. Com a ambição de se expandir a outras geografias, a Lisbon Mobi Summit vai reunir especialistas nacionais e internacionais, empresas, startups nas áreas da mobilidade e da energia, académicos e gestores de topo. O evento, patrocinado pela EDP, terá caráter anual.

Global Media Group lança Global Mobi Award

O GMG vai lançar o Global Mobi Award, uma espécie de óscares da mobilidade, para premiar projetos neste domínio.

O lançamento do prémio será feito no dia 26, no primeiro dia do warm-up da Lisbon Mobi Summit, disse o COO do Global Media Group, José Carlos Lourenço, no dia 12, na conferência de imprensa de apresentação da iniciativa, realizada na sede da EDP. O galardão deverá ter uma regularidade anual.

A Lisbon Mobi Summit é uma iniciativa que pode ser seguida em www.lisbonms.com