Combustíveis

"Vim meter só dez euros". Despreocupação nos postos de Viana

"Vim meter só dez euros". Despreocupação nos postos de Viana

Mais movimento do que o habitual, mas relativa despreocupação, nos postos de combustíveis de Viana do Castelo.

Os automobilistas fazem fila para abastecer as viaturas. Há quem nem tenha conhecido do que se está a passar. "Vim meter só dez euros e amanhã ou logo à noite venho meter atestar.

Não estou muito informada da situação. Não tenho visto televisão", declarou Ana Barbosa, formadora de profissão, que se encontrava a abastecer no posto do hipermercado Lclerc de Darque, Viana do Castelo

No mesmo local há quem se mostre despreocupado. "Não estou preocupado. Vim atestar, porque preciso. Isto vai normalizar já de seguida", comentou Marco Sousa, que se encontrava a abastecer no posto do hipermercado Lclerc de Darque, Viana do Castelo.

Carlos Morais, empresário de exploração de combustíveis, com sete portos nos distritos de Viana do Castelo (3) e do Porto (4), já está a sentir os efeitos da greve dos motoristas de matérias perigosas. "A situação é muito dramática. Dois dos meus postos de combustíveis no Porto (Rio Tinto) estão secos desde ontem à noite.

Em Viana do Castelo, tenho um já sem gasóleo (Vila Franca)", comentou ao Jornal de Notícias, referindo: "Se não houver reabastecimento até amanhã, poderei ficar com os postos todos secos". Comentou ainda como "injusta, injustificada e discriminatória para com o resto do país" a medida do Governo de decretar que os serviços mínimos de 40% no Porto e Lisboa.