Espanha

Vitória no Mundial pode ter impacto positivo no PIB

Vitória no Mundial pode ter impacto positivo no PIB

A vitória de Espanha no Mundial de 2010 pode ter um impacto positivo no PIB do país, segundo um estudo do banco holandês ABN Amro.

O estudo, Soccernomics 2010, refere que a vitória numa competição como um mundial tem um impacto emocional significativo nos cidadãos do país vencedor o que pode traduzir-se em crescimento económico real.

Segundo o ABN Amro, que analisou o impacto de vitórias no Mundial desde 1970, o PIB do país vencedor cresce em média 0,7% mais devido ao efeito dessa conquista.

Só houve dois casos, em 1974 e 1978 (vencidos respectivamente pela Alemanha e pela Argentina) em que isso não só não aconteceu como a economia até se agravou significativamente.

O impacto também deverá ser positivo na bolsa com o estudo do ABN Amro a documentar que depois das vitórias de 1994, 1998 e 2002 os mercados dos países vencedores - respectivamente Brasil, França e Brasil - cresceram 10%.

Nos mesmos anos, as bolsas dos países que perderam a final caíram 25%.

No caso de Espanha o próprio ministro da Industria, Miguel Sebastián, assegurou esta semana que no caso da selecção espanhola vencer a final "será necessário rever em alta as previsões de crescimento do PIB.

José Luis Rodríguez Zapatero, primeiro-ministro, reforçou essa avaliação considerando que já a vitória nas meias-finais tinha sido muito positiva para "aumentar a auto estima e a confiança no país".

A previsão do Governo continua a antecipar que Espanha termine este ano em recessão, com um crescimento negativo de 0,3% do PIB.

Um dos primeiros impactos da celebração, cujos efeitos totais não são ainda contabilizáveis, é o consumo privado que deverá aumentar devido à vitória espanhola.

Apesar de estimar o impacto positivo da vitória no Mundial em termos do PIB nacional o estudo da ABN Amro refere que teria sido mais importante uma vitória da Alemanha.

O facto da Alemanha ser uma economia de relevância mundial tornaria qualquer impacto positivo no PIB de muito maior significado para a economia europeia e mundial.