Economia

John Textor, de negócios no cinema ao interesse no Benfica

John Textor, de negócios no cinema ao interesse no Benfica

A CMVM informou esta segunda-feira que havia indícios que José António dos Santos, conhecido como "Rei dos Frangos", tinha feito um acordo de compra e venda com John Textor, investidor norte-americano, ligado à área dos efeitos especiais.

O investidor norte-americano iria pagar 50 milhões de euros por 25% das ações do Benfica, sendo que a cotação do clube em bolsa está, atualmente, situada nos 69 milhões de euros. Esta avaliação, apesar de elevada, segundo especialistas auscultados pelo JN, não é anormal, pois depende dos valores pedidos pelo detentor das ações e da logística da compra, tendo em conta que o Sport Lisboa e Benfica detém 70% das ações.

John Textor tentou há um par de meses comprar uma significativa parte das ações do clube inglês Crystal Palace e, segundo informa o "The Athletic", haveria um plano para formar uma parceria entre ambos. A equipa inglesa beneficiaria da capacidade de formação de jogadores e rede de olheiros do Benfica no mercado sul-americano, enquanto as águas teriam uma janela para vender atletas ao mercado britânico.

Mas qual é, afinal, o interesse de John Textor, que fez fortuna no mercado dos audiovisuais, em investir em clubes de futebol? O norte-americano é um grande adepto do desporto e tentou inclusive comprar uma parte do Newcastle United, também de Inglaterra, mas o dono, Mike Ashley, mudou de ideias durante o processo.

Textor começou o percurso profissional no mercado de audiovisuais, como diretor da Digital Domain, empresa americana que fez os efeitos especiais para filmes como "Titanic" ou "Pirata das Caraíbas".

No entanto, esta empresa acabou por ir à falência em 2012 por uma tentativa falhada de alteração do modelo de negócio, que motivou a acumulação de bastantes dívidas. Este acontecimento levou à perda de enormes quantias de dinheiro aos investidores e Textor foi processado por alguns. Foi ilibado pelos tribunais e acabou por ser indemnizado em cerca de sete milhões de euros.

Em 2013 fundou a Facebank, especializada em realidade virtual. Em 2020 comprou a FuboTV, negócio de streaming de conteúdos desportivos, e uniu ambas empresas para criar a FuboTV Inc. Segundo o site "Gurufocus", Textor tem uma fortuna avaliada em cerca de 191 milhões de euros.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG