Economia

Juventude Socialista contra portagens nas auto-estradas do interior

Juventude Socialista contra portagens nas auto-estradas do interior

A Juventude Socialista está contra a introdução de portagens nas autoestradas do interior e escreveu ao ministro da Economia com argumentos de falta de alternativas, estradas em mau estado e menor competitividade das regiões.

As federações distritais da Juventude Socialista (JS) de Bragança, Castelo Branco, Guarda, Vila Real e Viseu apresentaram a "preocupação pela eventual introdução de portagens nas autoestradas A23, A24, A25 e em toda a extensão da A4", disse hoje o dirigente socialista Artur Patuleia à Agência Lusa.

Os jovens socialistas defendem que esta carta deve ser dirigida ao ministro, porque "a medida é injusta" e a "colocação de portagens levará ao aumento de tráfego nas antigas estradas nacionais", argumentou.

Artur Patuleia defendeu que a "construção destas autoestradas no interior tiveram como objectivo a mobilidade rodoviária, o reforço da coesão das cidades, a defesa da clara melhoria das condições de vida das populações e o incentivo ao desenvolvimento" regional.

A Juventude Socialista está contra a introdução de portagens nestas vias, também devido à "inexistência de alternativas", porque as "antigas estradas nacionais têm um traçado sinuoso, acrescido a condições atmosféricas adversas", que impedem uma fluidez de tráfego compatível com os padrões de circulação, conforme a carta enviada.

No documento lê-se ainda que em Outubro de 2010, o "PSD condicionou a aprovação do Orçamento de Estado de 2011 à introdução de portagens nas actuais SCUT" pelo que a JS quer "inverter" o pagamento nestas vias justificando com o "aproveitamento de troços do IP2, IP3, IP4 e IP5".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG