Economia

Ligação a Vigo vai custar 450 mil euros/ano à Renfe

Ligação a Vigo vai custar 450 mil euros/ano à Renfe

A transportadora ferroviária espanhola Renfe vai pagar à CP, todos os anos, 450 mil euros para a empresa portuguesa manter a ligação entre Tui e Vigo, evitando desta forma a supressão da linha.

Os valores foram avançados por fonte da CP citada pela Agência Lusa, acrescentando que a empresa espanhola vai assim duplicar o valor que já antes pagava, passando a assumir a totalidade dos custos.

"Anteriormente, a ligação tinha custos partilhados mas a Renfe aceitou a proposta e vai passar a custear o valor total, pelo que a CP vai manter o comboio até Vigo", acrescentou fonte da empresa pública portuguesa.

Disse ainda que o serviço manter-se-á "inalterável, em termos de horários, paragens e preços".

"Sem prejuízo de, no futuro, ser feito algum reajustamento. Mas para já mantém-se tudo como está", explicou a fonte.

A CP alegava um prejuízo mensal de 19.600 euros para suprimir esta ligação que, no troço entre Tui e Vigo, transporta todos os anos cerca de 15.500 passageiros.

José Pinto, da Associação dos Utentes dos Comboios (ComboiosXXI), garantiu à Lusa tratar-se de uma "boa decisão" mas sublinhou a importância de serem feitas alterações.

"Era a nossa esperança desde o início. Mas não pode ser, como diz a CP, para manter a ligação tal como está. Temos que pedir alternativas para que pelo menos se corte em trinta minutos a duração da viagem até Vigo, de três horas", apontou.

Desta forma, a associação ComboiosXXI vai manter a realização, sábado à tarde, de uma acção de protesto em Valença, que culminará com uma viagem entre Tui e Porto, naquele que seria, como antes tinha sido anunciado pela CP, o último comboio da ligação internacional à Galiza.

"Será uma reunião de pessoas a pedir para que seja melhorada a linha. Por exemplo, assegurar ligações no Porto e em Vigo com pequenos ajustes dos horários", explicou.

Para a administração da CP e da Renfe os utentes vão ainda seguir propostas para remodelação e modernização da linha e do serviço, que serve duas regiões com cerca de seis milhões de habitantes.

Esta acção de protesto, que decorrerá na fronteira entre Valença e Tui, conta com o apoio dos membros da Comissão para a Reunificação Nacional da Galiza e Portugal, um grupo criado em 1998 com o objectivo de suscitar a "livre determinação, independência e soberania" da Galiza.

Outras Notícias