Fundo Ambiental

Mais de 600 cheques para carros elétricos foram pedidos

Mais de 600 cheques para carros elétricos foram pedidos

Há mil apoios de 2250 euros (empresas) a 3000 euros (particulares), mas mais de metade já foram pedidos em menos de um mês. Bicicletas já registaram 156 ajudas de 250 euros.

Duas semanas decorridas desde a publicação do despacho que inclui o Regulamento para a atribuição do Incentivo pela Introdução no Consumo de Veículos de Baixas Emissões, a 5 de março, 616 dos 1000 "cheques" de apoio à compra de carros elétricos já foram pedidos. Os dados estão disponíveis em tempo real no site do Fundo Ambiental.

Os incentivos aos carros elétricos são retroativos a janeiro deste ano, bastando para tal apresentar fatura com uma data válida para obter o apoio. A ajuda é de 3000 euros para particulares, estando limitada a uma unidade. No caso das empresas, o apoio é de 2250 euros, mas é possível comprar até quatro veículos, com o mesmo montante dado por unidade.

O Governo está também a apoiar, este ano e pela primeira vez, a aquisição de bicicletas elétricas urbanas. O incentivo é de 250 euros e cada contribuinte pode adquirir um velocípede com essa ajuda estatal. Até ao momento, já foram recebidas 156 candidaturas a incentivos de um total de mil.

O caso das motas elétricas é diferente. Uma vez que apenas houve 41 candidaturas no ano passado, o Governo fez as contas e entendeu que não valia a pena reservar verba para apoiar até mil ciclomotores. A ajuda será limitada a 250 motas. O Estado pagará 20% do valor da motorizada elétrica, com um teto máximo de 400 euros. Até ao momento, houve 156 candidaturas validadas.

Qual é o limite?

Segundo o despacho publicado em Diário da República no dia 5 de março, serão atribuídas unidades de incentivo até ao limite máximo de 1000 unidades no caso dos veículos ligeiros, igual número nas bicicletas e até ao limite máximo de 250 unidades na categoria dos motociclos de duas rodas e ciclomotores elétricos.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG