Exclusivo

Máquinas roubam empregos a portageiros

Máquinas roubam empregos a portageiros

Brisa cortou quase metade dos efetivos em dez anos. Ascendi deve dispensar 220 este ano, num processo contestado pelos trabalhadores.

As concessionárias de autoestradas estão a reduzir cada vez mais o número de portageiros e a substituí-los por máquinas de pagamento manual. Durante a última década, a Brisa, a que gere mais quilómetros da rede em Portugal, cortou quase metade dos efetivos. Este ano, a Ascendi pretende dispensar cerca de 220, num processo que está a ser contestado pelos trabalhadores e que, garante o Governo, está a ser acompanhado pela Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT).

Segundo a Associação Portuguesa das Sociedades Concessionárias de Autoestradas ou Pontes com Portagens (APCAP), entre as 24 associadas, apenas sete ainda dispõem de um sistema de cobrança com recurso a portageiro. Porém, "têm vindo a diminuir progressivamente o número de operadores", denuncia o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG