Imobiliário

Marcas de luxo vão tornar Aliados na "Avenida da Liberdade do Porto"

Marcas de luxo vão tornar Aliados na "Avenida da Liberdade do Porto"

A consultora imobiliária Cushman & Wakefield (C&W) considera que a Avenida dos Aliados, no Porto, vai tornar-se uma nova Avenida da Liberdade tendo em conta as lojas de luxo que têm interesse em localizar-se naquela localização.

Em apresentação esta quinta-feira aos jornalistas, o diretor-geral da C&W Portugal, Eric van Leuven, e a diretora de 'research' da consultora imobiliária, Andreia Almeida, consideraram que "a Avenida dos Aliados vai tornar-se a Avenida da Liberdade do Porto".

Segundo os responsáveis, aquela importante avenida do Porto está a captar o interesse das marcas de luxo, havendo já lojas da Tod's, Burberry e Boutique dos Relógios Plus (no edifício Aliados 107, onde era a sede do antigo jornal "O Comércio do Porto") e mais negócios estão a ser feitos pelo que mais marcas de luxo deverão abrir lojas naquela via central, acompanhando o dinamismo do mercado turístico e imobiliário.

A Cushman & Wakefield apresentou esta quinta-feira o balanço e as perspetivas do mercado imobiliário em Portugal, no qual estimou que o investimento em imobiliário comercial em Portugal atingiu 3.000 milhões de euros em 2019, semelhante ao valor recorde de 2018.

No Porto, refere, "o setor de escritórios atravessa também um bom momento, embora ainda abaixo das expectativas", sendo que entre janeiro e setembro a procura foi de apenas 26.000 m², para o que contribui "a escassez de oferta de espaços de qualidade".

PUB

Contudo, considera a Cushman & Wakefield, há uma "elevada procura latente no mercado" do Porto, que prevê venha a ser colmatada de futuro, já que apenas "até 2022 está prevista a conclusão de nove projetos com uma área total de 110.000 m2".

Este ano deverão ser concluídos dois edifícios que já estão totalmente pré-arrendados, o Urbo Business Center pelo BNP Paribas e o Boavista Office Center pela Farfetch.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG