Economia

Melhoria no défice prevista para este ano "permanece distante"

Melhoria no défice prevista para este ano "permanece distante"

A melhoria no défice orçamental para este ano "permanece distante" considera a Unidade Técnica de Apoio Orçamental, que na análise à execução orçamental de janeiro a outubro aponta para valores muito aquém do previsto até nas mais recentes estimativas.

"A melhoria do saldo implícita na estimativa para 2012 permanece distante, embora ainda sem o efeito da suspensão do subsídio de Natal dos funcionários públicos e pensionistas. O agravamento observado até outubro (345 milhões de euros) contrasta com a melhoria (de 1.453 milhões de euros) implícita na estimativa para 2012", diz a UTAO numa análise enviada esta manhã aos deputados.

A nota explica que existe "uma elevada divergência face ao novo objetivo", mas que é necessário ter em conta o efeito da suspensão do subsídio de Natal dos funcionários públicos e pensionistas que só produz efeitos a partir de novembro.

Ainda assim, os técnicos independentes sublinham que o défice ajustado do subsetor Estado (serviços integrados sem autonomia financeira) reduziu-se em 674 milhões de euros em termos homólogos, "uma melhoria ainda bastante aquém da que se encontra subjacente à estimativa anual" de 2.045 milhões de euros.

A contribuir para este pessimismo está ainda o saldo ajustado do subsetor dos serviços e fundos autónomos (com autonomia financeira) que até outubro foi quase igual ao alcançado no mesmo período de 2011, "anulando-se assim a melhoria homóloga de quase 100 milhões de euros alcançada até setembro", ficando deste modo o objetivo de excedente orçamental dos SFA de 670 milhões de euros estimado para este ano "mais distante".

No caso do saldo da segurança social, para que os valores atinjam o previsto é de esperar um agravamento no seu défice na ordem dos 720 milhões de euros nos últimos dois meses do ano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG