Economia

Metade do encaixe estatal com privatizações veio da China

Metade do encaixe estatal com privatizações veio da China

As privatizações de empresas portuguesas efetuadas pelo atual Governo renderam, até agora, 8,1 mil milhões de euros, metade dos quais vieram das mãos de investidores chineses, que apostaram na EDP, REN e Caixa Seguros.

"O encaixe global com o programa de privatizações ascende a 8,1 mil milhões de euros, excedendo em 47% o encaixe previsto no memorando de entendimento [com a 'troika'] de 2011", afirmou na quinta-feira o secretário de Estado das Finanças, Manuel Rodrigues, sendo que mais de 4 mil milhões de euros vieram da China.

A última operação foi a venda de uma fatia de 80% da área seguradora da Caixa Geral de Depósitos (CGD) à chinesa Fosun International, por mil milhões de euros, a que se somam os 387,15 milhões de euros resultantes da venda de 25% da Rede Elétrica Nacional (REN) à China State Grid em fevereiro de 2012, e os 2,69 mil milhões de euros oriundos da alienação de 21,35% da Energias de Portugal (EDP) à China Three Gorges no final de 2011.

Refira-se que, no caso da REN, houve uma participação de 15% que foi comprada pela energética Oman Oil por 205,1 milhões de euros.

O executivo de Passos Coelho fechou o ano passado com a operação de dispersão em bolsa de 70% do capital dos Correios de Portugal (CTT), que permitiu um encaixe de 579 milhões de euros, além de ter vendido em dezembro de 2012 uma participação de 95% da Aeroportos de Portugal (ANA) aos franceses da Vinci por 3.080 milhões de euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG