Espanha

Ministro espanhol garantiu prazos do TGV a António Mendonça

Ministro espanhol garantiu prazos do TGV a António Mendonça

O ministro das Obras Públicas, António Mendonça, afirmou ter já recebido garantias do seu homólogo espanhol de que a linha de alta velocidade ferroviária entre Madrid e Badajoz manterá os prazos de execução previstos, até 2013.

António Mendonça falava aos jornalistas na Assembleia da República, a meio do debate da moção de censura do PCP ao Governo, para negar que o Governo espanhol se prepare para suspender a construção da linha de TGV entre Madrid e a fronteira portuguesa.

"Falei quinta feira com o meu homólogo, José Blanco, e ele ficou muito impressionado com as notícias que estavam a circular em Portugal, dizendo-me que não tinham qualquer fundamento", afirmou António Mendonça.

Segundo o membro do Governo português, o ministro espanhol do Fomento (Obras Públicas) garantiu que se "mantêm todos os compromissos em relação ao eixo de alta velocidade entre Lisboa e Madrid".

"Quero acrescentar que a 8 e 9 de Junho próximos haverá uma reunião entre os governos de Portugal, Espanha e França em que se firmará um memorando de entendimento para que a União Europeia considere o eixo Lisboa/Madrid/Paris prioritário entre os eixos prioritários", adiantou António Mendonça.

Para o ministro do executivo de Lisboa, esse memorando a celebrar entre os dois países ibéricos e França "tem como objectivo garantir que todos os financiamentos comunitários estejam assegurados".

As declarações do ministro das Obras Públicas no exterior do hemiciclo, enquanto decorria o debate da moção de censura, levaram o líder parlamentar do PCP, Bernardino Soares, a questionar o presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, se é respeitosa do debate parlamentar esta atitude de António Mendonça.

PUB

Pela parte do Governo, a resposta veio do ministro dos Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão, dizendo que o executivo não reconhece autoridade à bancada do PCP "para determinar o comportamento dos membros do Governo em qualquer circunstância neste hemiciclo".

O Governo espanhol anunciou quarta-feira que todas as obras sob tutela do Ministério do Fomento (Obras Públicas) irão sofrer um atraso de um ano, no qual se inclui a ligação em comboio de alta velocidade (TGV) entre Madrid e Lisboa.

A ligação de TGV entre Madrid e a fronteira portuguesa do Caia estava a ser adjudicada em vários troços, sendo que parte deles, cerca de 3 por cento, já estão em execução.

A linha espanhola, que irá ligar ao Caia, está mais adiantada do que a portuguesa. O Governo de Portugal adjudicou no dia 8, sábado, a linha Poceirão-Caia ao consórcio Elos, co-liderado pela Brisa e pela Soares da Costa.

O ministro espanhol José Blanco justificou a decisão com o novo plano de austeridade imposto pelo Governo de Zapatero: "Todas as obras, tanto ferroviárias como rodoviárias, irão sofrer um atraso de, pelo menos, um ano na sua execução ", disse o ministro na comissão de Obras Públicas do Parlamento espanhol.

Com este plano, os espanhóis esperam poupar cerca de 6,4 mil milhões de euros durante este e o próximo ano.

José Blanco adiantou também que esta decisão não mudará a política do Governo em relação às obras públicas, que será de as concretizar logo que existam condições nos mercados financeiros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG