Acordo

Negócio da TAP é "ruinoso para Portugal", diz Associação Comercial do Porto

Negócio da TAP é "ruinoso para Portugal", diz Associação Comercial do Porto

A Associação Comercial do Porto considera "ruinoso" o negócio anunciado quinta-feira à noite pelo Governo, que garante ao Estado o controlo da TAP.

O negócio prevê o pagamento de 55 milhões de euros para que David Neeleman saia da transportadora aérea nacional, ficando o Estado com 72,5% da empresa.

Nuno Botelho, Presidente da Associação Comercial do Porto, disse esta manhã, em conferência de imprensa, que a associação não poderia ficar calada a assistir ao desenrolar da situação e sublinhou que o país tem gerido "de forma errada" os bens públicos.

Botelho considerou que o facto de o Estado ter vindo a ser chamado a injetar dinheiro em várias empresa é "nocivo" para as contas públicas, associando essas transferências à "elevada carga fiscal" do país.

Depois de a Associação Comercial do Porto ter interposto uma providência cautelar, para evitar a injeção de 1,2 mil milhões de euros na TAP, o Supremo Tribunal Administrativo (STA) autorizou o Governo a avançar com a injeção de capital, se demonstrar que o adiamento da ajuda "seria gravemente prejudicial para o interesse público", informou a companhia aérea.

Outras Notícias