Banif

Notícia da TVI não foi desmentida porque "estava certa"

Notícia da TVI não foi desmentida porque "estava certa"

O diretor de informação da TVI, Sérgio Figueiredo, disse esta quarta-feira que a notícia sobre o Banif dada na noite de 13 de dezembro não foi desmentida porque "estava certa".

"Não houve desmentido, na minha modesta opinião, porque a notícia estava certa", sustentou Sérgio Figueiredo, que está a ser ouvido esta tarde no parlamento, na comissão de inquérito sobre o Banif.

O jornalista diz todavia arrepender-se de, nessa noite de 13 de dezembro, um domingo, "não ter interrompido a emissão desportiva" que estava a dar no canal de notícias TVI24.

Sérgio Figueiredo reconheceu que se poderia "ter aberto um especial de informação, para que o que a estação estava a passar não se limitasse a frases" em rodapés.

No dia seguinte a TVI publicou na sua página da Internet um esclarecimento, no qual lamentava que a notícia relativa ao banco que divulgou em rodapé na noite anterior "não tenha sido totalmente precisa e esclarecedora", podendo "ter induzido conclusões erradas e precipitadas sobre os destinos daquela instituição financeira".

"Sem má-fé, dolo, ou atitude premeditada de provocar danos ou perdas", o que a TVI fez, diz o seu diretor para a informação, foi cumprir as regras de jornalismo e prestar um serviço aos espetadores.

PUB

"Na minha modesta opinião, é um pouco abusivo atribuir em exclusivo à notícia da TVI tudo o que aconteceu até ao fim dessa semana", nomeadamente no que diz respeito à fuga de depósitos, na casa dos mil milhões de euros.

Respondendo ao deputado do PSD Carlos Abreu Amorim, Sérgio Figueiredo diz que atribuir a fuga de depósitos e posterior fim do Banif "a um rodapé da TVI" e a uma notícia que "na substância está intocável" é "insultar a inteligência dos portugueses".

"O jornalismo cumpriu a sua função. Não quero estar a fazer-me de vítima mas não aceito que façam de mim culpado de algo que não sou. Nem eu nem a minha equipa", sublinhou.

Nos dias seguintes à notícia da estação de Queluz de Baixo houve comunicados quer do Ministério das Finanças quer do Banco de Portugal que, prosseguiu Sérgio Figueiredo, não representam desmentidos ao revelado pela estação.

"Não gosto mesmo nada de puxar galões, mas andei 20 anos na informação económica. Em muitos anos e circunstancias lidei com notícias que sendo ou não publicadas podiam ter grande impacto. Não caí de paraquedas numa redação sem ter a noção do que é que estava a acontecer", diria posteriormente o jornalista, numa resposta a uma pergunta do socialista João Galamba.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG