Bancos

Governador do BdP diz que venda do Novo Banco estabiliza setor

Governador do BdP diz que venda do Novo Banco estabiliza setor

O governador do Banco de Portugal considerou que a concretização esta quarta-feira da venda do Novo Banco é "um marco importante" no sistema bancário português, uma vez que reforça a sua estabilidade e o apoio deste à economia portuguesa.

"O Novo banco passa a ser detido pela Lone Star em 75% e a conclusão desta operação é um marco importante para o sistema financeiro português", disse Carlos Costa, na cerimónia que marcou a transferência de propriedade de 75% do banco para o fundo Lone Star, que decorreu em Lisboa.

O governador do Banco de Portugal (BdP) destacou que, com esta operação, o Novo Banco fica com capital reforçado e deixa de ter o estatuto de banco de transição.

Ainda segundo Carlos Costa, mais de três anos depois da resolução do Banco Espírito Santo (BES), "com esta operação cumpre-se integralmente as finalidades da resolução do BES".

O responsável máximo do Banco de Portugal destacou ainda o impacto da venda do Novo Banco na estabilização do setor bancário português e no apoio à economia portuguesa.

"O setor bancário nacional, com esta operação, está hoje melhor preparado para fornecer financiamento necessário ao desenvolvimento da economia portuguesa", afirmou.

A Lone Star vai injetar no imediato 750 milhões de euros no Novo Banco e os restantes 250 milhões de euros vão ser aplicados ainda este ano, uma alteração face ao prazo de três anos inicialmente acordado com as autoridades.

"Conclui-se a operação de venda do Novo Banco à Lone Star com injeção de capital de 750 milhões de euros e, até final do corrente ano, nova entrada de 250 milhões de euros, o que significa a entrada de mil milhões de euros", anunciou o governador Carlos Costa.

O fundo norte-americano Lone Star torna-se assim dono de 75% do Novo Banco, mantendo o Fundo de Resolução (até agora seu único acionista) 25% de participação.