Economia

Nuno Melo quer saber se não há "consequência" do erro de cálculo do FMI

Nuno Melo quer saber se não há "consequência" do erro de cálculo do FMI

O eurodeputado democrata-cristão Nuno Melo questionou a Comissão Europeia e o BCE sobre qual a "consequência" retirada do reconhecimento pelo FMI de que as medidas de contenção estão a ter um impacto maior do que o previsto.

O eurodeputado do CDS-PP recusou, contudo, que o requerimento que dirigiu às instituições que pode questionar (não tem competência para questionar formalmente o FMI) seja uma "invocação da renegociação, em relação a prazos, em relação ao que seja".

"É importante saudar o reconhecimento da falha na previsão, mas falta saber do ponto de vista académico a consequência que retiram a em relação ao efeito dessa falha da previsão no impacto da economia de um país intervencionado como Portugal", afirmou Nuno Melo aos jornalistas no Parlamento português.

Referindo-se ao reconhecimento de um erro pelo FMI em calcular o impacto negativo das medidas de contenção orçamental nos países, Nuno Melo sublinhou que falhou "um pressuposto fundamental para justificar as metas que são fixadas e os objetivos que têm que ser alcançados pelos países".

Nuno Melo apontou que essa falha de "pressuposto" não aconteceu por parte do país intervencionado, mas por quem avalia e "empresta dinheiro, neste caso o FMI", sendo, portanto, necessário "saber se também daí não retiram nenhuma conclusão".

"É uma curiosidade que eu tenho enquanto deputado europeu, mas que não tem que ver com nenhuma invocação da renegociação, em relação a prazos, em relação ao que seja", disse.

Outras Notícias