Financiamento

O seu negócio tem riscos ambientais? Pagará mais no crédito

O seu negócio tem riscos ambientais? Pagará mais no crédito

Ainda que discretamente, o sistema financeiro está também a preparar-se para as exigências futuras em termos de sustentabilidade, nomeadamente no que às alterações climáticas diz respeito.

O Banco Central Europeu vai realizar, já em março, os primeiros testes de esforço ao sistema bancário europeu, que incluem critérios de resistência climática para avaliar exposição aos riscos associados a catástrofes naturais ou à exposição a indústrias com elevadas emissões de dióxido de carbono, o que demonstra a importância desta temática na sua análise de risco de crédito. O BCE tem considerado as alterações climáticas um dos principais riscos para a economia nos próximos anos e essa preocupação já tem reflexos no setor bancário.

A reboque dos novos desafios da sustentabilidade e para cumprir as metas do Acordo de Paris, a banca comercial está a incorporar os critérios ambientais, sociais e de governança, os chamados ESG (Environmental, Social and Governance) na análise de risco de crédito às empresas que financiam. Setores como o têxtil, de exploração de minérios ou de produção de energia com combustíveis fósseis serão os mais penalizados.

CGD tem modelo pronto

A CGD afirma que foi o primeiro banco a ter pronto um modelo de rating ESG, aplicado a todos os setores de atividade, e que permite, de uma forma simples e objetiva, classificar automaticamente 300 mil empresas e incidir sobre 20 mil milhões de créditos bancários. Com a matriz, a CGD consegue perceber quais os clientes a desenvolver e quais os de maior risco.

Pedro Barreto, administrador do BPI, refere que o banco tem "uma matriz de risco bem definida e implementada de acordo com a diretriz definida pelos reguladores e que está a ser aplicada, de forma progressiva, a todas as empresas". E definiu um conjunto de exclusões relacionadas com as atividades com especial impacto no meio.

O grupo Santander vai participar nos testes de stress climático do BCE e anunciou já que, até 2030, deixará de financiar setores como a mineração de carvão e a geração de eletricidade com base em carvão. Em setembro, vai anunciar novos setores a serem restringidos e que tenham operações relacionadas com petróleo e gás, geração de energia elétrica, mineração e metalurgia e produtos agrícolas e alimentares.

PUB

Crédito Agrícola - Desde julho de 2021 que o Crédito Agrícola passou a atribuir uma notação ambiental e social aos clientes empresariais.

Montepio - O Montepio desenvolve esta área, certo de que as empresas com melhor pontuação ESG são mais apelativas para investir.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG