Covid-19

Página de "take-away" no Porto reuniu 10 mil seguidores num mês

Página de "take-away" no Porto reuniu 10 mil seguidores num mês

A página "Take-aways no grande Porto" superou já os 10 mil seguidores e atraiu quase 200 restaurantes, tendo sido lançada no Facebook para "ajudar esses estabelecimentos nesta fase difícil e a manter empregos".

"A ideia foi criar uma página que permitisse aos restaurantes contactar diretamente com os clientes", explicou um dos administradores da página, Manuel Pinheiro, citado pela agência Lusa.

Marcos Allen e Luís Império são os outros administradores. Aquilo que os une é a amizade e o gosto pela gastronomia e a boa mesa e neste capítulo salientam que "o Grande Porto tem inúmeros restaurantes com gastronomia fabulosa" e que continuam disponíveis em regime de 'take-away', numa altura em que muitos deles lutam pela sua sobrevivência.

Os interessados podem ir à página "Take-aways no grande Porto", no Facebook, e procurá-los, consultar as ementas respetivas e também partilhar aí as suas experiências. Podem também procurar no mapa entretanto desenvolvido o restaurante mais próximo.

"A página não tem fins lucrativos e a sua gestão é feita nos tempos livres de cada um", referiu Manuel Pinheiro, um gestor com forte ligações ao vinho enquanto presidente da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes.
"Já vamos a caminho dos 10500 seguidores e temos quase 200 restaurantes", acrescentou, assinalando ainda a presença de mercearias, confeitarias e outros estabelecimentos afins.

Os administradores apostaram na "ligação direta entre o cliente e o restaurante", ao contrário do que se verifica com as plataformas eletrónicas que já operam neste setor. Para Manuel Pinheiro, o "negócio é mais justo assim".

A página tem uma ampla oferta de estabelecimentos onde é possível comprar refeições para fora ('take-away') ou para entrega em casa. Porto, com o maior números de estabelecimentos aderentes, Maia, Matosinhos, Gaia, Valongo e Gondomar estão entre os concelhos representados.

A oferta, porém, já ultrapassou as fronteiras do chamado Grande Porto, reunindo já "alguns restaurantes" de Guimarães e de Fafe, no concelho de Braga, e até do distrito de Aveiro.

A adesão foi "uma completa surpresa" para os três administradores. "Pensávamos que ia ser um grupo pequeno", apenas com os restaurantes que já sabiam ter este tipo de serviço, afirmou o mesmo responsável.

"A maioria dos restaurantes são de gastronomia tradicional portuguesa, porque os de autor têm dificuldade em se adaptar ao take-away", considera Manuel Pinheiro, salientando que alguns desenvolveram, inclusive, embalagens próprias para a comida.

"Vamos lançar agora concursos para as pessoas partilharem fotos dos seus pratos, para animar a página," e os vencedores serão premiados com "livros de gastronomia", informou também.

Manuel Pinheiro descarta a possibilidade da página "Take-aways no grande Porto" se manter após esta crise de saúde pública.

"Estou ansioso pelo dia em que possamos entrar num restaurante e que esta página seja desnecessária, pois isso significa que a retomámos a normalidade", argumentou.

Outras Notícias