Reestruturação

PCP contra intervenção na TAP que ataque direitos dos trabalhadores

PCP contra intervenção na TAP que ataque direitos dos trabalhadores

O PCP afirmou esta quarta-feira que a votação do plano de reestruturação da TAP no parlamento "não está colocada neste momento", mas reafirmou que uma intervenção na companhia aérea não pode ser feita "contra os trabalhadores".

Em declarações aos jornalistas no parlamento, depois de uma reunião de cerca de duas horas com o Governo, o deputado Bruno Dias salientou que o PCP admite que haja "uma intervenção imediata, concreta" na TAP perante o cenário de crise internacional na aviação civil para defender a companhia e os seus trabalhadores, mas que não nasça de "imposições de Bruxelas".

Questionado como votaria o partido se o Governo trouxesse o plano de reestruturação ao parlamento, o deputado respondeu que "neste momento, esse cenário não está colocado".

"O PCP reafirma que somos contra uma intervenção que passe essencialmente pelo ataque aos direitos dos trabalhadores e seja baseada na destruição de postos de trabalho. Não está colocada uma perspetiva, neste momento, de uma votação desse género. A nossa posição é muito clara e é conhecida: nós somos defensores da companhia de bandeira, somos defensores dos seus trabalhadores com direitos, os trabalhadores da TAP não são peças descartáveis", afirmou o deputado, que esteve acompanhado na reunião pelos dirigentes Vasco Cardoso e Agostinho Lopes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG