Trabalho

Perda de empregos mais mal pagos eleva salário médio para 1227 euros por mês

Perda de empregos mais mal pagos eleva salário médio para 1227 euros por mês

Valor afetado pela perda de emprego com remuneração mais baixa. Subida maior nos setores fustigados pela crise.

O salário médio bruto em Portugal, incluindo subsídios e todas as componentes, subiu em março para os 1227€, num crescimento homólogo de 3,1%, e numa tendência que continua a ser influenciada pela destruição de emprego entre os salários mais baixos.

O número de salários pagos diminuiu 2,5% num ano, com o alojamento, restauração, as atividades administrativas e os serviços de apoio a serem os mais penalizados. Foi também entre estes setores que mais cresceu a média salarial. Os dados têm em conta as retribuições a 4074,1 mil trabalhadores, segundo o Instituto Nacional de Estatística, com base em informação da Segurança Social e da Caixa Geral de Aposentações.

O aumento da média salarial em 3,1% no 1.º trimestre representa, porém, um abrandamento face a dezembro, quando o salário médio bruto subia 3,9%. Já a média salarial sem subsídios estava em março em 1106€, crescendo 3,6% face há um ano. A média de salário-base cresceu 3,8% para 1041€.

Na análise da evolução salarial nas diferentes atividades económicas, o INE destaca o efeito estatístico de crescimento da média de remunerações nos setores mais afetados pela perda de emprego, e assinala que, em conjunto, turismo e serviços (onde se incluem limpezas ou agências de viagens) pagavam em março menos 12,8% em salários.

Efeito pandémico

"Os maiores aumentos da remuneração regular foram observados nas atividades administrativas e dos serviços de apoio (+6,3%) e nas atividades de alojamento, restauração e similares (+5,6%). O crescimento significativo desta remuneração, nesta última atividade, esteve em larga medida associado à alteração da estrutura salarial em consequência da redução em perto de um quinto (-19,8%) do número de trabalhadores, que se terá verificado, sobretudo entre os que tinham remunerações mais baixas. Efetivamente, o volume das remunerações pagas diminuiu nesta atividade 12,8% face ao mesmo período de 2020", refere.

PUB

Hotéis e restauração
Num ano, o número de salários pagos no alojamento e na restauração caiu 17,5%, para 251 mil. No mesmo período, a média salarial bruta total avançou 3,5%, para 815€, e a regular (sem subsídios) aumentou 5,6%, para 745€.

Administrativos
Nas atividades administrativas e serviços de apoio, havia em março menos 6,9% de salários pagos, para 297,3 mil. A média salarial total cresceu 5% para 860€, e o salário médio sem subsídios avançou 6,3%, atingindo 724€.

Indústria
Na indústria, o emprego caía em março 3,8%, para 663,6 mil trabalhadores, com a média salarial total a avançar 3,5% para 1115€.

Comércio
No comércio, pagavam-se já 640 mil salários, menos 2,6% que um ano antes, e a média salarial total bruta crescia 1,4% para 1086€.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG