Alojamento local

Porto está esgotado e tem a passagem de ano mais cara do país

Porto está esgotado e tem a passagem de ano mais cara do país

O Porto está esgotado e a preços máximos na noite de passagem de ano no alojamento local presente na plataforma Airbnb.

Os preços mais do que duplicaram (126%), no Porto, face aos praticados em dezembro do ano passado, segundo a ferramenta de negócio AirDNA. A tarifa mediana para o réveillon é de 129 euros no Porto, mais do que os 113 euros pedidos nos imóveis disponíveis em Lisboa.

O aumento da procura sente-se em quase todo o país, também na passagem de ano: Aveiro está com tarifas 108,5% acima da média do mês de dezembro do ano passado, Portimão cobra mais 37% e Coimbra e Madeira estão ambas 15,7% mais caras.

Segundo a referida plataforma AirDNA, o valor do mercado em Lisboa e Porto aumentou consideravelmente a partir de março deste ano. O valor das receitas do melhor mês do ano passado, agosto, foi alcançado, este ano, em abril. A sazonalidade mantém-se, com agosto a valer mais do triplo de dezembro: mais de 40 milhões de euros faturou o alojamento local em Lisboa e Porto no pico do verão, numa altura em que a hotelaria registava 393 milhões de euros de proveitos de aposento.

As propriedades mais rentáveis de Lisboa e do Porto deverão faturar mais de 100 mil euros este ano. Em Lisboa, uma casa de luxo com terraço deverá render 190 250euro; um palácio no Bairro Alto renderá 109 448euro; e um apartamento com piscina aquecida no terraço 106 793euro. No Porto, uma moradia na Baixa vai faturar 124 826euro; um apartamento T1 na Foz deverá render 113 033euro; e um prédio na Baixa deverá faturar 98 700euro.

Eduardo Miranda, presidente da Associação do Alojamento Local, considera "normal a subida de preços numa altura de maior procura", uma vez que "a semana entre o Natal e o Ano Novo salva a rentabilidade de dezembro e janeiro". O responsável assegura que o preço médio dos T1 e T0 arrendados no Porto para a noite de 31 de dezembro é de apenas 78euro e 74euro, respetivamente.

Além disso, refere, os dados tratados automaticamente pelo AirDNA criam "erros de perceção no caso português, porque somam as taxas extra, como as de limpeza ou de late check-out à tarifa média" e esses valores "não são habituais em Paris ou em Nova Iorque". A tarifa nacional apresentada pela ferramenta norte-americana estará inflacionada. "E essa tarifa média não distingue um T0 de um T12, portanto, não corresponde a um valor real quando a tipologia mais frequente no Porto é o T0/T1 e em Lisboa é o T2+1", acrescentou. E quanto à rentabilidade anual das propriedades, comenta: "Extrapolam o valor multiplicando a tarifa média pela taxa de ocupação. Mas a tarifa desce quanto maior for a ocupação".

PUB

"Estamos a trabalhar numa ferramenta de negócios do alojamento local português que inclua todas as especificidades que o AirDNA não contempla", anunciou o responsável.

Leia a nossa Edição Impressa ou tenha acesso a todo o conteúdo no seu computador, tablet ou smartphone assinando a versão digital aqui

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG