Zona Euro

Portugal e Irlanda já não estariam na zona euro se não existisse FMI

Portugal e Irlanda já não estariam na zona euro se não existisse FMI

Portugal e Irlanda provavelmente já não estariam na zona euro caso o fundo de resgate do euro não existisse, afirmou o seu presidente, acreditando que a crise na região poderá acabar dentro de um a dois anos.

"Senão fosse por nós, Portugal e Irlanda provavelmente já não estariam na zona euro", afirmou o presidente do Fundo Europeu de Estabilização Financeira (FEEF), Klaus Regling, em entrevista à revista semanal alemã "Der Spiegel", que será publicada esta segunda-feira.

O responsável antecipa ainda que se os membros da União Económica e Monetária cumprirem os seus compromissos, a crise na zona euro pode acabar "num ano ou dois".

"Se todos os países na zona euro cumprirem à risca as suas metas de consolidação orçamental e continuarem a aumentar a sua competitividade então a crise pode estar terminada em um ou dois anos", disse o responsável à revista alemã, citado pela France Presse.

Klau Regling, natural da Alemanha, lidera o FEEF desde a sua criação, após o início da crise e pedido de ajuda da Grécia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG