Dívida soberana

Portugal paga mais juros por 1,5 mil milhões de euros em Bilhetes do Tesouro

Portugal paga mais juros por 1,5 mil milhões de euros em Bilhetes do Tesouro

O Estado colocou, esta quarta-feira, mais 1,5 mil milhões de euros de dívida no mercado, o limite máximo do montante indicativo estipulado, pagando juros mais elevados a cinco e 12 meses do que nas últimas operações com prazos semelhantes.

De acordo com o IGCP - Agência de Gestão de Tesouraria e da Dívida Pública - a operação com o prazo a 12 meses conseguiu arrecadar 1,2 mil milhões de euros a uma taxa de juro média de 1,72%, face aos 1,232% conseguidos no último leilão comparável realizado a 15 de maio, numa operação onde a procura superou a oferta em 1,8 vezes.

Com os Bilhetes de Tesouro com maturidade em dezembro, o IGCP colocou, por sua vez, 300 milhões de euros, a um juro de 1,045%, ligeiramente acima dos 1,041% do último leilão comparável.

A procura de bilhetes a cinco meses superou a oferta em 4,4 vezes, quando a 19 de junho (último leilão comparável) tinha sido de 2,49 vezes.

Num breve comentário ao leilão, o diretor de gestão de ativos do Banco Carregosa, Filipe Silva, considera que o impasse político que está a ser vivido em Portugal "pode ter pesado um pouco" no leilão a 12 meses, mas classifica os leilões como um "não acontecimento".

"Os leilões correram com normalidade, com as taxas a saírem dentro daquilo que tem estado a ser praticado no mercado. A taxa do muito curto prazo, a 5 meses, quase se manteve igual à praticada há um mês. Neste leilão a procura foi elevada mas só 20% do montante colocado foi dirigido para esta maturidade", sinaliza.

"Já no leilão a 12 meses, acrescenta, tendo em conta a taxa praticada em maio, a taxa subiu bastante. Tivemos um agravamento de 0,41% no espaço de dois meses", destaca.

Outros Artigos Recomendados