consumo

Portugueses passaram "para uma categoria mais barata de produtos" alimentares

Portugueses passaram "para uma categoria mais barata de produtos" alimentares

Os portugueses passaram a comprar mais frescos, mercearias e charcutaria, em detrimento de outros produtos, o que demonstra uma "alteração radical" no consumo, disse, esta terça-feira, a diretora-geral da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição.

De acordo com Ana Isabel Trigo Morais, que falava aos jornalistas na apresentação do barómetro de vendas da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), no primeiro trimestre, desde que a crise se começou a sentir os portugueses começaram a alterar os seus hábitos.

Numa primeira fase, os consumidores deixaram de ir ao restaurante e passaram a preferir o consumo de comida pronta, nomeadamente congelados.

Agora, segundo os dados do primeiro trimestre, os portugueses passaram "para uma categoria mais barata de produtos", que passa pelos frescos (que subiram 0,7 pontos percentuais), mercearias (crescimento de 0,9 pontos percentuais) e charcutaria (mais 0,3 pontos percentuais).

Ou seja, os portugueses passaram "a comprar mais matéria-prima" para cozinharem em casa, o que reflete o impacto das medidas de austeridade.

Ainda por categoria de produtos, as vendas de lácteos recuaram 0,9 pontos percentuais, a categoria Drogaria e Produtos de Higiene (DPH) caíram 0,8 pontos percentuais, as bebidas perderam 0,3 pontos percentuais e os congelados estagnaram.

Outras Notícias