2.º trimestre

Preço da eletricidade no mercado grossista cai 33% para 23,26 euros/MWh

Preço da eletricidade no mercado grossista cai 33% para 23,26 euros/MWh

O preço médio da eletricidade no mercado grossista caiu cerca de 33%, entre abril e junho, para 23,26 euros/megawatt-hora (MWh), comparado com o trimestre anterior, divulgou, esta sexta-feira, a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

De acordo com o Boletim Especial covid-2019 divulgado, esta sexta-feira, pelo regulador da energia, "o preço médio [da eletricidade no mercado grossista] entre abril e junho (cerca de 23,26 euros/MWh) é inferior em aproximadamente 33% quando comparado com os três primeiros meses do ano".

Já relativamente à totalidade do ano de 2019, a quebra do preço da eletricidade no mercado grossista - onde produtores vendem aos comercializadores - excede os 50%, acrescenta.

Analisando a situação específica dos meses de abril, maio e junho, a ERSE verificou quebras globais de consumos de 14%, 16% e 8%, respetivamente.

De acordo com os valores apurados, observou-se que os clientes empresariais de pequena dimensão - clientes em Baixa Tensão Especial (BTE) -- foram os mais afetados, com uma variação homóloga que atingiu uma quebra para metade do consumo em abril e maio, e uma quebra de 18% em junho, face ao mesmo mês de 2019.

O segmento de clientes industriais em Média Tensão (MT), registou uma tendência de queda semelhante, ainda que com variações mais reduzidas (quebras ligeiramente superiores a 1/4 do consumo nos meses de abril e maio, quando comparados com os mesmos meses de 2019).

Para os grandes consumidores - clientes em Muito Alta Tensão (MAT) e Alta Tensão (AT) - a evolução é de certa forma semelhante, tanto em quebra de consumos como, durante o mês de junho.

PUB

Por outro lado, a generalidade dos consumidores residenciais e pequenos negócios - clientes em Baixa Tensão Normal (BTN) - registou uma ligeira subida de consumo, de 1% a 2%.

"O segmento de clientes no qual se observou a maior redução homóloga dos consumos - clientes em BTE -- representa cerca de 7% do consumo global, enquanto os grandes consumidores (clientes em MAT e AT) representam cerca de 21%", esclarece a ERSE.

De acordo com o documento, no primeiro trimestre do ano foram reportadas cerca de 94 mil interrupções de fornecimento de eletricidade, que corresponde a menos 20,6% do que o registado no mesmo período de 2019.

Considerando um período de 12 dias do primeiro trimestre em que se refletiam os efeitos da pandemia de covid-19, cerca de 7,7% dessa redução pode atribuir-se diretamente a impactos da pandemia e da medida aprovada pela ERSE de proibir a interrupção de fornecimento por falta de pagamento da fatura.

Ao abrigo dessa medida, registou-se um volume de cerca de 9,2 mil interrupções não efetuadas no primeiro trimestre do ano, adianta o regulador.

Entre abril e junho, período que abrange a vigência das medidas excecionais em contexto de pandemia de covid-19, um total de oito comercializadores solicitaram o fracionamento de faturação do acesso às redes, tendo sido o mês de maio aquele em que mais se recorreu à aplicação desta medida.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG