Guerra na Ucrânia

Preço da eletricidade vai voltar a subir na Europa no inverno

Preço da eletricidade vai voltar a subir na Europa no inverno

Os preços da eletricidade no mercado grossista vão voltar a subir na Europa no inverno, especialmente no Reino Unido, Alemanha e França, de acordo com a Agência Internacional de Energia.

Num relatório publicado esta quarta-feira, a Agência Internacional de Energia (AIE) analisa as primeiras consequências da guerra na Ucrânia para a Europa devido à forte dependência energética da Rússia, que forneceu, em 2020, quase 30% do gás consumido na Europa, além de mais de 20% do petróleo e 12% do carvão.

Atendendo a um índice de base de 100 pontos, no início de 2016, os preços em França e na Alemanha são já 10 vezes superiores (1000 pontos).

A escalada vai acelerar no inverno, precisamente quando há receios de problemas de abastecimento ou de uma nova subida dos preços do gás, se se confirmar que a Rússia irá fechar as "torneiras" à Europa.

Os autores do estudo preveem que os preços em França tripliquem até ao final do ano (para 3000 pontos), enquanto na Alemanha possam quase duplicar para cerca de 1.750 pontos.

Para o ano 2023, as previsões apontam para uma queda em ambos os países, na primeira parte do ano, voltando a encarecer no segundo semestre e terminando com cerca de 1500 pontos, ou seja, 15 vezes o preço que tinham no início de 2016.

Já no que diz respeito ao Reino Unido, o relatório prevê que passará dos atuais 500 para cerca de 1250, no quarto trimestre, antes de descerem abaixo do limiar dos 750, no segundo semestre do próximo ano.

PUB

A AIE prevê que a procura global de eletricidade, que subiu 6% em 2021, em grande parte como reação à paralisação durante a pandemia, vai crescer 2,4% este ano e a um valor semelhante em 2023, num ritmo parecido ao do período entre 2015 e 2019, mas inferior ao previsto no início do ano.

O relatório nota que a Europa será a região do mundo com a mais baixa taxa de crescimento da procura de eletricidade em 2022 (abaixo de 1%).

O consumo de eletricidade no continente americano vai aumentar quase 2% este ano, uma projeção mais elevada do que aquela feita em janeiro e que se explica sobretudo com a rápida recuperação económica dos Estados Unidos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG