agricultura

Preço do trigo está 41% mais caro no mercado mundial

Preço do trigo está 41% mais caro no mercado mundial

Não haverá repercussão direta no pão ou na carne, embora outros custos possam fazer agravar os preços.

O preço do trigo no mercado mundial ficou, em setembro, 41% acima do valor de há um ano, "devido à redução das disponibilidades exportáveis" num contexto de "forte procura", de acordo com o último boletim mensal da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Apesar da grandeza do número, "é preciso ver qual o peso que a farinha de trigo tem na fórmula do preço do pão. É uma fração diminuta se comparada com o peso da energia (para os fornos), do transporte ou da mão de obra", comenta Luís Mira, secretário-geral da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP).

No entanto, o dirigente reconhece que, "face ao aumento dos preços dos combustíveis, da eletricidade, do gás e de outros bens, poderá ser inevitável uma atualização dos preços", reportando-se ao pão, mas também à carne, por exemplo, por via do encarecimento de outros cereais, como o milho (subiu 38% num ano) e a soja.

O aumento da cotação do trigo acabou por contribuir para a subida, pelo segundo mês consecutivo, do Índice de Preços de Alimentos da FAO, que reflete os preços dos bens alimentares mais comercializados a nível mundial. Elevou-se aos 130,0 pontos em setembro, mais 1,2% face a agosto, e mais 32,8% em relação a setembro de há um ano, uma trajetória que a organização atribui a uma "oferta restrita" e a uma "forte procura por alimentos básicos, como trigo e óleo de palma".

Produção Recorde

Por outro lado, o boletim refere que o aumento dos preços dos cereais ocorre apesar de se prever uma produção recorde neste ano que, mesmo assim, está a revelar-se abaixo das necessidades dos consumidores.

PUB

"A produção global de cereais em 2021 deve atingir um recorde histórico de 2,8 mil milhões de toneladas, embora esteja abaixo das necessidades de consumo projetadas para a campanha de comercialização de 2021/22", indica a FAO.

"Entre os principais grãos, o trigo será o foco das atenções nas próximas semanas, já que a procura precisará de ser avaliada em relação ao rápido aumento dos preços", observou o economista sénior da FAO, Abdolreza Abbassian, citado no mesmo boletim. Nos mercados de capitais, os analistas estão apreensivos e receiam uma possível crise alimentar.

Logística mundial

Para Nuno Sousa Pereira, da Sixty Degrees, a escalada dos preços pode ser atribuída à disrupção da cadeia de logística mundial, que eleva o custo de armazenagem, de transporte e de toda a cadeia de produção.

Impacto da energia

O gestor de ativos também alerta para o aumento dos custos da energia que pesam na fatura.

*com Elisabete Tavares

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG