Economia

Primeiro vencedor do TGV anunciado hoje pelo Governo

Primeiro vencedor do TGV anunciado hoje pelo Governo

Os dois finalistas são os consórcios liderados pelaBrisa e Soares da Costa e o outro pela Mota-Engil.

Hoje será conhecido o vencedor do primeiro concurso público para o projecto do TGV, que diz respeito ao troço entre Poceirão-Caia, cuja construção deverá arrancar no próximo ano e entrar ao serviço em 2013.

O anúncio do vencedor será feito pelo primeiro-ministro, José Sócrates, em Évora, onde está também prevista uma estação, cuja exploração está integrada no projecto de construção, manutenção do troço de alta velocidade ferroviária de ligação entre Lisboa e Madrid, no troço entre Poceirão-Caia, numa extensão de 170 quilómetros.

Hoje ficar-se-á a saber qual dos dois concorrentes, os agrupamentos liderados pela Brisa e Soares da Costa, e o outro pela Mota-Engil, sairá vencedor. No entanto, o contrato só será assinado depois do decreto-lei com as bases de concessão ser promulgado pelo presidente da República.

De acordo com os dados divulgados pela RAVE - Rede Ferroviária de Alta Velocidade, em Junho, o agrupamento liderado pela Brisa e Soares da Costa, o consórcio Elos-Ligações de Alta Velocidade, apresentou uma proposta final com um valor de construção de 1359 milhões de euros, o que representa um aumento de 2,6% face à proposta inicial. Quanto ao custo anual de manutenção o grupo apresentou uma proposta final de 12,2 milhões de euros, sendo que a inicial era de 11,6 milhões de euros.

Quanto ao outro finalista, o consórcio Altavia Alentejo - Infra-estruturas de Alta Velocidade, liderado pela Mota-Engil, manteve inalterada a sua proposta inicial de construção no valor de 1.334 milhões. Quanto à manutenção aumentou de 16,7 milhões de euros para 18 milhões.

Aquando da entrega das propostas finais os consórcios explicaram estes aumentos com as piores condições de financiamento, devido aos problemas de crédito nos mercados internacionais.

PUB

De referir que para esta fase do projecto está previsto que o Estado pague directamente 137 milhões de euros, que a Refer contribua, para a linha convencional entre Évora e Caia, com 60 milhões e, de acordo com um comunicado da RAVE, no Verão, já estava disponível o financiamento de 600 milhões pelo Banco Europeu de Investimento.

Se hoje em Portugal se conhece o primeiro vencedor a um concurso para o TGV, ontem em Espanha o conselho de ministros autorizou a licitação das obras de um dos troços que ligará Madrid à fronteira portuguesa, por um valor de 126 milhões de euros.

O troço pertence à secção entre Talayuela e Cáceres e tem uma longitude de 6,6 quilómetros, unindo-se às licitações aprovadas em Novembro para dois outros subtroços que globalmente custarão 131,7 milhões de euros.

Em comunicado, a Delegação do Governo na Extremadura explica que se trata do troço entre Grimaldo e Casas de Millán, em Cáceres, num projecto que concretiza a recente promessa do ministro do Fomento, José Blanco (feita em Portugal) de licitar as obras antes do fim do ano.

Recorde-se que foi também nessa visita a Portugal, que o ministro do Fomento espanhol anunciou que a linha de TGV Porto-Vigo não estará concluída antes de 2015, dois anos depois do que estava previsto.

Na altura, adiantou que será elaborado um novo estudo para o troço entre Vigo e Porriño e que o traçado definido para esta linha tem uma "orografia muito complicada". Nessa reunião com o Ministro de Obras Públicas, António Mendonça, foi decidida a criação de uma comissão técnica para estudar a possibilidade de a linha passar apenas a ser para passageiros.

*COM LUSA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG