IRS

Proposta de alteração ao IRS permite ao contribuinte optar por solução mais favorável até 2017

Proposta de alteração ao IRS permite ao contribuinte optar por solução mais favorável até 2017

A proposta do Governo de alteração ao código do IRS introduz uma "cláusula de tratamento mais favorável" que permite ao contribuinte optar, durante três anos, por pagar o imposto de acordo com as regras de 2014.

"Na proposta de lei de alteração do código do IRS está uma cláusula de tratamento mais favorável ao contribuinte. Na prática, é uma cláusula que permite que durante os anos de 2015, 2016 e 2017, portanto, nos primeiros três anos de aplicação da reforma, os contribuintes possam optar, se isso lhes for mais favorável, por pagar o seu IRS de acordo com as regras de 2014", disse o ministro da Presidência, Luís Marques Guedes.

Falando em conferência de imprensa após a reunião semanal do Conselho de Ministros, o governante procurava explicar em que consiste a cláusula de salvaguarda já anunciada pelo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, que permite aos contribuintes optar se querem que lhes sejam aplicadas as novas regras a partir de 2015 ou as atuais regras em vigor.

Marques Guedes explicou de que forma os contribuintes poderão aceder à informação que lhes permite optar pelo que mais lhes convém, através do portal das Finanças.

"No próprio portal das Finanças onde todos nós fazemos o descarregamento do nosso imposto (...) haverá um local próprio para os contribuintes poderem solicitar esse direito de opção, através do qual as Finanças farão uma simulação dizendo quanto é que, aplicando-se as regras de 2014, seria a tributação em IRS - e o contribuinte fica com a possibilidade de optar, se entender que lhe é mais favorável ter essa tributação de acordo com as regras de 2014", esclareceu o ministro.

As propostas de lei que alteram o código do IRS e a reforma da Fiscalidade Verde serão enviadas esta tarde à Assembleia da República, uma semana após a sua aprovação em Conselho de Ministros e serão discutidas "em paralelo com o Orçamento do Estado para 2015 (OE2015), uma vez que o efeito é para entrar em vigor em simultâneo com o OE2015", revelou ainda Marques Guedes.

O Governo envia esta tarde à Assembleia da República as propostas de lei que alteram o código do IRS e a reforma da Fiscalidade Verde.

PUB

O Código do IRS vai passar a ter um novo regime de deduções para abranger todas as despesas familiares até aos 600 euros por casal e é também criado um quociente familiar que atribui uma ponderação de 0,3 pontos por cada dependente e ascendente do agregado familiar.

Na reforma para a Fiscalidade Verde será criada uma taxa de 10 cêntimos por saco plástico.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG