OCDE

Recessão em Portugal deverá prolongar-se até 2013, alerta OCDE

Recessão em Portugal deverá prolongar-se até 2013, alerta OCDE

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico divulgou, esta quinta-feira,um relatório sobre a economia portuguesa, onde prevê que a recessão se vai prolongar pelo menos até ao próximo ano. Recorde, em síntese, as principais conclusões e previsões do relatório.

O relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) chegou às seguintes conclusões quanto à prestação da economia portuguesa:

- A economia portuguesa irá encolher 3,2% este ano e 0,9% no próximo; estas previsões são as mais pessimistas das até agora apresentadas por instituições internacionais para Portugal no curto prazo;

- Para o défice, a previsão da OCDE é que o Governo falhe as metas da 'troika', embora por margens relativamente curtas: 4,6% do PIB em 2012 (a meta é 4,5%) e 3,5% em 2013 (a meta é 3%);

- A dívida pública manterá a sua trajetória ascendente, atingindo os 114,5% do PIB este ano e os 120,3% no próximo;

- A OCDE também espera que o desemprego continue a subir, situando-se nos 15,4% em 2012 e 16,2% no próximo ano;

- O economista-chefe da OCDE para Portugal considera que substituir os cortes dos subsídios da função pública por um imposto extraordinário sobre todos os trabalhadores é "razoável";

- A falta de produtividade da economia portuguesa justifica-se pelos "baixos níveis de educação" dos trabalhadores, aponta o relatório;

- Para a OCDE, o lançamento de parcerias público-privadas (PPP) foi prejudicado por interferências políticas e por "falta de conhecimento técnico" dos governantes

- O relatório descreve Portugal como um país "bastante centralista" e reconhece que os gastos com juntas de freguesia são reduzidos, mas mesmo assim apoia a sua redução em 30 %;

- O Governo deve estar "pronto para aceitar falências" de autarquias, defende o relatório.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG