Economia

Redução da despesa até Fevereiro "é um sinal positivo"

Redução da despesa até Fevereiro "é um sinal positivo"

O economista João Duque considerou esta quarta-feira como "um sinal positivo" a redução da despesa efetiva do Estado até Fevereiro, segundo dados preliminares da execução orçamental do Governo, mas criticou o "padrão irregular" da divulgação destes números.

"O que é de relevar é o controlo da despesa. A redução da despesa é um sinal positivo de um caminho que vai ser muito duro e que tem de continuar neste trajecto", disse à agência Lusa João Duque.

O economista reagia desta forma aos dados preliminares da execução orçamental hoje avançados pelo Governo e segundo os quais a despesa efectiva do Estado até Fevereiro caiu 3,6 por cento, para 6.815,6 milhões de euros.

João Duque disse ver com bons olhos "o resultado obtido até agora" e disse acreditar que são "de facto o espelho da realidade", mas acrescentou contudo não saber bem como, tendo conta que nem todos os números foram divulgados.

"Nos meses pares sai primeiro a despesa, nos meses ímpares a receita. A gestão do país é par ou ímpar. O que me desconforta é esta situação, porque gostava de saber, por exemplo, como está o cumprimento dos objectivos de receita para o mês de Fevereiro. Achei estranho no mês de Janeiro saber-se. Agora sabe-se a boa novidade primeiro e a segunda há-de sair diluída. Isto levanta suspeitas", frisou.

João Duque referia-se ao facto de dados da execução orçamental terem sido divulgados de forma avulsa nos últimos dois meses, quando são oficialmente anunciados nos dias 20 de cada mês.

"O meu conceito de Estado e de Governo não é a de um manipulador de opinião, mas de verdade, transparência e rigor. Se calhar a senhora Merkel não está conhecedora destes detalhes e come aquilo que lhe dão. Eu como português gostava de saber logo a informação mais actualizada possível dentro daquilo que parece ser um padrão que não é de todo regular", sublinhou.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG