O Jogo ao Vivo

Função Pública

Responsável da Siemens defende redução de "100 a 200 mil funcionários públicos"

Responsável da Siemens defende redução de "100 a 200 mil funcionários públicos"

O administrador-delegado da Siemens Portugal, Carlos Melo Ribeiro, considerou, esta terça-feira, que Portugal só conseguirá sair da crise através da eliminação de postos de trabalho na Função Pública, apontando para uma redução de 100 a 200 mil trabalhadores.

"É preciso diminuir 100 a 200 mil funcionários públicos", afirmou o responsável durante a sua intervenção na conferência "Crescer, um desígnio nacional", promovida pela Associação Comercial de Lisboa, em parceria com o semanário "Sol", na capital portuguesa.

Segundo Melo Ribeiro, Portugal, dado o seu Produto Interno Bruto (PIB), deveria ter no máximo 400 mil funcionários públicos e, no seu entender, há maneiras de fazer esta redução "sem tragédia".

"A General Electric (GE) tem o mesmo PIB que o país e funciona com maior produtividade com 360 mil funcionários", exemplificou.

"Metemos 800 mil pessoas do privado no desemprego. Agora, temos que ir ao Estado Social e às pessoas", sublinhou, defendendo que "o desperdício do Estado Social quase que chega para o garantir".

E apontou para a má distribuição dos rendimentos mínimos, defendendo que quem beneficia deste apoio estatal, tal como os beneficiários do subsídio de desemprego, devem fazer trabalho social.

"Tenho a certeza que o PS não quer ir agora para o poder", afirmou, explicando que as reformas que têm que ser feitas não são populares. "Os nossos políticos não são profissionalmente sérios na governação. Estão a atuar muito mal. Adiam o problema e não envolvem a sociedade portuguesa", disse o administrador.

"Qualquer governo sério tem sempre um conselho empresarial que o aconselha", reforçou.

"Temos tudo o que é preciso para desenvolver este país. Só há uma solução, que é cortar a dívida e o défice público", concluiu.