Pandemia

Ryanair espera prejuízo de até 450 milhões de euros devido à ómicron

Ryanair espera prejuízo de até 450 milhões de euros devido à ómicron

A companhia aérea irlandesa Ryanair espera um prejuízo anual de 250 a 450 milhões de euros, cerca de metade do número inicialmente projetado, baixando assim a previsão dos lucros, devido ao impacto da variante ómicron.

A Ryanair previa perdas entre os 100 e os 200 milhões de euros.

Em comunicado divulgado, esta quarta-feira, a companhia aérea refere a nova previsão resulta de uma redução acentuada nas reservas para a época festiva de Natal e Ano Novo. "A variante ómicron da covid-19 e as recentes restrições de viagens na Europa enfraqueceram significativamente as nossas reservas", explica a transportadora.

PUB

E acrescenta: "Esta desaceleração repentina levou a Ryanair esta semana a cortar a sua capacidade de transporte planeada em 33%", em janeiro.

A companhia aérea ainda não tomou uma decisão em relação aos meses de fevereiro e março.

A Ryanair espera ter mais clareza sobre os efeitos da ómicron nas restrições de viagens em continente europeu, quando os números do terceiro trimestre forem apresentados em 31 de janeiro.

A proibição de viagens a passageiros não essenciais do Reino Unido para França e Alemanha e a suspensão de todos os voos da União Europeia (UE) de e para Marrocos reduziram as expectativas de tráfego para dezembro pela Ryanair, de uma faixa de 10 a 11 milhões de viajantes para entre 9 e 9,5 milhões.

O setor da aviação é um dos mais atingidos pela pandemia do novo coronavírus SARS-CoV-2, com restrições sanitárias às viagens internacionais que prejudicam o tráfego aéreo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG