Economia

"Saída limpa é sucesso para Portugal e Europa", disse Durão Barroso

"Saída limpa é sucesso para Portugal e Europa", disse Durão Barroso

O presidente da Comissão Europeia considerou, esta segunda-feira, que a 'saída limpa' de Portugal do programa de ajustamento é "um sucesso" para o país, mas também para a Europa, e elogiou a determinação do povo português.

"Com uma 'saída limpa', Portugal vai agora andar pelo próprio pé. Este não é apenas um sucesso para Portugal, mas um sucesso para a Europa", disse Durão Barroso, numa declaração após a reunião regular com os líderes da zona euro - os presidente do Conselho, Herman Van Rompuy, do BCE, Mario Draghi, e do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem -, no dia em que a ministra Maria Luís Albuquerque comunica formalmente aos seus parceiros da zona euro a decisão tomada pelo Governo.

Apontando que, "no dia 17 de maio, Portugal vai sair do programa de ajustamento económico e financeiro iniciado em 2011 com o apoio da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional" e que "o vai fazer sem pedir aos seus parceiros internacionais uma linha cautelar", Durão Barroso considerou que tal "é possível graças à aplicação rigorosa do programa nos últimos três anos que produziu resultados impressionantes".

"A maioria dos graves desequilíbrios económicos que levaram à crise foi ou está a ser corrigida. As bases para o crescimento sustentável foram estabelecidas. E a confiança dos investidores voltou. É com satisfação que se ouve o primeiro-ministro português dizer que o país continuará no caminho para umas finanças públicas sólidas e para a estabilidade financeira e a competitividade", afirmou.

Reconhecendo que "não foi um processo isento de dor, longe disso", o presidente do executivo comunitário defendeu todavia que "era inevitável" e elogiou "o povo português pelos esforços e sacrifícios significativos para construir um futuro melhor".

"A sua determinação merece o nosso total respeito", disse, acrescentando que "a conclusão bem-sucedida deste programa mostra as capacidades imensas de Portugal e dos portugueses para saírem mais fortes da crise".

Assinalando que, "desde que Portugal aderiu à União Europeia em 1986, que a Comissão Europeia tem sido um parceiro leal, dedicado e construtivo", José Manuel Durão Barroso afirmou que o seu executivo "esteve ao lado de Portugal durante a execução do programa de ajustamento" e continuará mesmo após a saída do programa.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG