O Jogo ao Vivo

Premium

Salário mínimo está a crescer o dobro do médio

Salário mínimo está a crescer o dobro do médio

Quando chegar a próxima crise, o dano será grande. Mais jovens e qualificados vão ficar prejudicados.

O salário mínimo nacional (SMN) vai chegar aos 635 euros no próximo ano. Representará um salto de quase 25%, já descontando a inflação, face a 2012, o ano em que o PIB caiu 4% e em que a taxa de desemprego atingiu 15,5%. Projetando já 2020, o salário médio líquido terá evoluído apenas 12,4% em oito anos. O problema é que a economia dá sinais de abrandamento e os economistas ouvidos pelo JN temem que as PME portuguesas não aguentem.

Há, portanto, efeitos negativos decorrentes de um aumento do SMN a um ritmo superior ao salário médio? "Sim, há efeitos perversos para as PME, que serão penalizadas na sua rentabilidade. Muitas terão mesmo de cortar postos de trabalho para conseguirem pagar SMN mais elevados. Quanto a grandes empresas, mais facilmente irão automatizar processos", refere Nuno Fernandes, professor de Finanças na escola de negócios IESE, em Madrid.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG