Restauração

Sindicato acusa Ibersol de usar trabalhadores da Uber Eats para contornar greve

Sindicato acusa Ibersol de usar trabalhadores da Uber Eats para contornar greve

O Sindicato dos Trabalhadores de Hotelaria do Norte vai avançar com uma queixa-crime contra a Ibersol, acusando a empresa de no dia 1 de janeiro ter substituído os empregados em greve por distribuidores da Uber Eats no Grande Porto.

Em comunicado, o sindicato acusa o grupo empresarial de alimentação organizada de ter "alterado o horário de trabalho dos trabalhadores das lojas da Pizza Hut do dia 1 de janeiro que tinha habitualmente início às 18 horas para as 13 horas", situação que afetou a "distribuição da Pizza Hut no Grande Porto".

"A Ibersol fez esta alteração ao horário de trabalho, sem cumprir os formalismos e procedimentos legais, designadamente de consulta aos trabalhadores e aos delegados sindicais", denunciou o sindicato.

Segundo a nota de imprensa, "os trabalhadores, na sua maioria distribuidores, mas também cozinheiros e empregados de balcão e mesa, não se conformaram com a antecipação do horário de trabalho deste dia, por pôr em causa a sua vida pessoal e familiar e realizaram greve, deixando algumas lojas sem distribuição o dia todo ou no período das 13 horas às 18 horas".

Para minimizar os efeitos da greve, acusou o sindicato, a "Ibersol usou os distribuidores da Uber Eats, substituindo os grevistas, o que configura a prática de um crime", complementando estar a "fazer um melhor apuramento da situação para apresentar queixa-crime contra a empresa".

A Lusa tentou obter uma reação do Grupo Ibersol, mas até ao momento não foi possível.

Outras Notícias