Economia

Sindicato diz que promoção do Pingo Doce foi prejudicial para o setor

Sindicato diz que promoção do Pingo Doce foi prejudicial para o setor

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio considerou, esta quinta-feira, que a promoção feita pelos supermercados Pingo Doce no 1º de maio vai ter consequências negativas em todo o setor e pretende discutir a situação com o Governo e associações empresariais.

O Pingo Doce optou por abrir as suas lojas no Dia do Trabalhador e deu descontos de 50% aos clientes que faziam compras superiores a 100 euros.

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP) reafirmou num comunicado divulgado em conferência de imprensa, que a promoção do Pingo Doce indicia "uma situação de venda abaixo do preço de custo".

O CESP considerou que "esta operação vai-se repercutir sobre todo o setor, que pode ter implicações sérias no acelerar do descartar de trabalhadores, incluindo no Pingo Doce e das outras empresas, descartando mais contratados a termo e aumentando o encerramento de lojas e empresas independentes e de grandes grupos de distribuição".

O sindicato "considera muito perigosa para o emprego uma guerra de resposta e contra resposta através de campanhas arrasadoras de preços, que esmagam os mais pequenos ou com menor quota de mercado e a produção nacional".

O CESP decidiu pedir reuniões ao ministro da Economia, ao diretor geral da ASAE, à Confederação do Comércio e à Autoridade da Concorrência, entre outras entidades.

O objetivo dos encontros é discutir a desregulação do setor.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG